Rooftops em Lisboa para curtir a cidade do alto em grande estilo

Memmo Príncipe Real. Foto: Divulgação
Memmo Príncipe Real. Foto: Divulgação

Sendo a cidade das sete colinas (oito, na verdade), Lisboa tem um sem número de lugares de onde é possível apreciar as vistas. Afora os famosos miradouros – a forma como os locais se referem aos mirantes – há uma série de rooftops em Lisboa convidativos para curtir um fim de tarde na temporada de verão. Aqui vão algumas sugestões.

Miradouros de Lisboa: descubra o seu

Sky Bar: rooftop cinco estrelas. Foto: Divulgação
Sky Bar: rooftop cinco estrelas. Foto: Divulgação

Sky Bar, o rooftop cinco estrelas

Em plena Avenida da Liberdade, no centro de Lisboa, o Sky Bar fica no terraço do Hotel Tivoli. Do topo do prédio, a vista que se tem é mais que privilegiada: vê-se a Avenida acima das copas das árvores, o miradouro da Graça e o Castelo, parte da Baixa e ainda um pedacinho do Príncipe Real. O terraço é em três níveis, que incluem um deque e ainda uma área coberta. O tratamento é cinco estrelas (como o hotel) e o sushi bar é uma motivação extra para ir até lá.

Terraço do Rio Maravilha. Foto: Divulgação / Fernando Mendes

Rio Maravilha, o rooftop do Cristo

Se você segue perfis de Lisboa no Instagram, já deve ter visto essa foto: uma mulher colorida gigante de braços abertos sobre o Tejo. A Crista Rainha é a figura central do terraço do Rio Maravilha, um deque de cara para o Cristo Rei e a Ponte 25 de Abril. O Rio Maravilha é um gastrobar com localização privilegiada no complexo industrial da LX Factory e mesmo dentro da sala do restaurante a vista é incrível.

Rio Maravilha: um gastrobar cheio de borogodó em Lisboa

Sunset party no Memmo Príncipe Real. Foto: Divulgação
Sunset party no Memmo Príncipe Real. Foto: Divulgação

Memmo Príncipe Real, o rooftop cool

O Memmo faz parte de uma rede de hotéis boutique que em Lisboa tem a filial do Príncipe Real e outra em Alfama. Faz parte do charme desses hotéis estar em localizações estratégicas porém escondidas dos olhos da rua. O Memmo Príncipe Real fica no fim de uma rua a que só se tem acesso por um pequeno beco, o que dá a esse terraço um certo ar de exclusividade. O guarda-corpo é de vidro e não bloqueia a bonita vista para a Avenida da Liberdade, Graça e Baixa. Os coquetéis são bons e os petiscos também merecem ser provados (em especial o ceviche).

Pôr-do-sol visto do Park. Foto: Flávia Motta
Pôr-do-sol visto do Park. Foto: Flávia Motta

Park, o rooftop do groove

O Park tinha tudo para ser um segredo – fica discretamente no último andar de um edifício garagem na Calçada do Combro – mas o clima lá é tão bacana, que ele virou um hit entre os turistas. A malta do Park é conectada a street art e black music e esses são dois elementos que dão a tônica do espaço. Esses e a vista, claro: um visual espetacular para o Tejo, na direção da Ponte 25 de Abril e do Cristo-Rei. A hora boa do Park (e mais concorrida) é a do por-do-sol, mas há sempre uma programação noturna por lá que merece ser conferida. As sangrias são ótimas.

Park, um bar bacana no topo de uma garagem em Lisboa

Less Baixa: de cara para o elevador de Santa Justa. Foto: Divulgação
Less Baixa: de cara para o elevador de Santa Justa. Foto: Divulgação

Less Baixa, o rooftop revigorado

Há na Baixa de Lisboa uma loja de artigos de lar, cozinha e hotelaria chamada Pollux tradicionalíssima. Desde sempre há no oitavo andar da Pollux um terraço que, se não era dos mais convidativos, era um pouso seguro para quem queria acompanhar do alto o vaivém do centro da cidade. Recentemente o chef Miguel Castro e Silva assumiu a cozinha do terraço, que agora tem o nome de Less Baixa, e teve um enorme upgrade na oferta de comes e bebes. A vista continua a lindeza de sempre – bem de cara para o Elevador de Santa Justa – mas o espaço agora merece mesmo constar da sua lista.

Quer ter uma experiência local em Lisboa? Entre em contato e saiba como contratar um roteiro personalizado Almost Locals Experience. 

Comments

comments

Escrito por
More from Flavia Motta

4 comidas que eu nunca provei em Lisboa (e talvez nunca prove)

Eu não me considero pessoa chata para comer. Aliás, depois que provei...
Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*