RIO: Em busca da festa junina perfeita – 5 “arraiás” pra colocar na agenda

Festa junina tradicional no Rio. Foto: Erika Azevedo

No Nordeste, as festas juninas são tão – ou mais – importantes quanto o carnaval. É praticamente um mês inteiro de festa, pra comemorar os santos populares Santo Antônio (13 de junho), São Pedro (29 de junho) e, claro, São João (24 de junho). Os arraiais e as quermesses se espalham pelas cidades, principalmente do interior, e a coisa é tão levada a sério por lá que tem até competição entre Caruaru (em Pernambuco) e Campina Grande (na Paraíba) pra ver quem tem o maior São João do MUNDO.

Estou contando isso tudo só pra vocês terem uma ideia do que é, pra uma legítima pernambucana, passar o São João longe da terrinha. O primeiro susto foi descobrir que, por motivos que nunca me foram revelados nesses dez anos de Rio, aqui existe a curiosa tradição das festas julinas (!), agostinas (!!!) e, até, setembrinas (!?). O segundo foi perceber que boa parte da programação dos “Arraiás” conta com atrações que vão de DJs de música eletrônica a shows de pagode retrô. Por isso, todo ano empreendo uma verdadeira saga atrás de festas juninas “de raiz” – aquelas com bandeirinhas, forró pé-de-serra, barraquinhas com comidas típicas, fogueira e, como não poderia deixar de ser, aquela quadrilha improvisada, com direito a túnel, caracol, grande roda e balancê.

De dez anos pra cá, o cenário melhorou – e muito. As festas juninas entraram na moda e começaram a aparecer cada vez mais eventos que resgatam o espírito do São João tradicional.

Aqui, eu divido com vocês meu top 5 de festas juninas cariocas:

São João da Feira

Quando: 5 de junho a 30 de agosto. Terça a quinta, de 10h às 18h. Sexta de 10h a 21h do domingo (fecha somente no domingo).
Onde: Feira de São Cristóvão – Campo de São Cristóvão s/n, Bairro de São Cristóvão
Quanto: De terça a quinta-feira, de graça. De sexta a domingo, a entrada é paga e o preço varia de acordo com a atração dos palcos principais, mas giram em torno de R$ 10.
Porquê: A Feira de São Cristóvão é um porto seguro pra quem quer um gostinho de festa de São João do Nordeste. São praticamente três meses de programação dedicada aos festejos juninos, com direito a concursos de quadrilha profissional, comidas típicas, shows e, claro, muito forrobodó. O clima lembra muito o das grandes festas juninas nordestinas, como de Caruaru e Campina Grande. Funciona quase como um teletransporte… A feira só não abre às segundas-feiras, mas a animação reina mesmo de sexta a domingo. Pela proximidade das datas oficiais dos festejos, os finais de semana mais animados são os dos dias 19 a 21 e 26 a 28 de junho.

Arraiá do Prata Preta

Quando: 20 de junho (sábado), a partir das 18h
Onde: Praça da Harmonia, Gamboa
Quanto: De graça
Porquê: Depois de resgatar a atmosfera dos carnavais de antigamente, o pessoal do bloco Cordão do Prata Preta, desde 2012 vem fazendo o mesmo com as festas juninas. Seu “Arraiá”, montado em plena região portuária do Rio, é um dos melhores da cidade, com clima de pracinha do interior e cheio de gente vestida a caráter, com roupa xadrez e chapéu de palha, além de barraquinhas de comidas e de brincadeiras pra crianças. Em sua quarta edição, vai contar com shows do Multibloco e do trio 03 Forrozeiros pra animar o baile, com repertório recheado de hits que vão de Jackson do Pandeiro a Luiz Gonzaga. A quadrilha improvisada é um dos pontos altos da festa.

Arraial de Santa Teresa

Quando: 27 e 28 de junho. Sábado, das 10h às 23h. Domingo, das 10h às 21h
Onde: Praça Odylo Costa Neto (Rua Áurea), Santa Teresa
Quanto: De graça
Porquê: Um dos mais tradicionais da cidade, acontece desde 1974, e, mesmo depois de tanto tempo, consegue manter as características das festas juninas de antigamente. Tem a vantagem de acontecer em um dos bairros mais charmosos do Rio.

Arraial Pérola da Guanabara

Quando: A data ainda não foi anunciada, mas acontece sempre num sábado, das 16h às 22h.
Onde: Ilha de Paquetá
Quanto: De graça
Porquê: Conhecido como “São João de Paquetá”, é um dos eventos mais aguardados dessa nova onda junina da cidade. É a festa da moda e tem motivo de sobra pra isso. A farra já começa na Praça XV, de onde partem as barcas para a bucólica Ilha de Paquetá, lotadas de “matutos” e “matutas” devidamente caracterizados, muitas vezes acompanhados da família inteira. O bairro fica tomado pela festa, que começa à tardinha e termina pontualmente antes da última barca zarpar. Mas o arraial não acaba por aí: a banda segue tocando na viagem de volta para o Centro do Rio. É uma coisa linda. Nos últimos anos, tem ficado bem cheia, então os organizadores só têm anunciado a festa bem perto da data oficial.
ATUALIZAÇÃO: Se São Pedro colaborar e não fizer chover, a festa rola neste sábado, dia 27 de junho.

Festa Julina Lauro Müller

Quando: 10 a 12 de julho. Sexta-feira: 17h à 1h. Sábado: 15h à 1h. Domingo: 15h às 22h
Onde: Parque General Leandro, na Rua Lauro Müller, Botafogo (atrás do Shopping Rio Sul)
Quanto: De graça
Porquê: Olha a festa julina aí, gente! Essa é uma das melhores que conheço, no meio do caminho entre Botafogo e Urca. É uma das mais tradicionais da Zona Sul do Rio e das maiores também. Tem apresentações de quadrilhas profissionais e improvisadas, concursos de dança, bandas de forró pé-de-serra e muitas opções de barraquinhas de comidas típicas. Um destaque é a barraca de cachaças artesanais.

P.S.: Se você conhece mais alguma festa junina imperdível no Rio, compartilhe aqui nos comentários e faça uma pernambucana feliz. 🙂
P.S.2: Se alguém souber explicar o fenômeno da “festa julina”, por favor, comente aqui também.

Gostou? Leia mais aqui

LIS: Junho é o mês mais animado em Lisboa. Prepare-se

SAO: Começou São Vito! Conheça as imperdíveis festas italianas de rua de São Paulo


Siga Almost Locals no Instagram
Acompanhe a página Almost Locals no Facebook

Comments

comments

Tags desse artigo
Escrito por
More from Erika Azevedo

RIO: Por que você precisa conhecer a Antiga Fábrica da Bhering

No Rio, uma fábrica de chocolates abandonada na Zona Portuária se transformou...
Leia Mais