Paris pela primeira vez – roteiro de 3 dias

Quem mora em cidade turística sabe, todo mundo que vem conhecer a sua cidade pede dicas. A tarefa fica mais difícil quando é Paris pela primeira vez. Muitos vêm rapidinho, quase de passagem, enquanto outros tem mais dias para dedicar à cidade.

Pensando nisso e inspirado pelo material da própria Prefeitura de Paris, esse texto tenta reunir um micro-roteiro de três dias para ajudar quem vem à  Paris pela primeira vez. Claro que você pode se basear e alterar, casando com seus pontos de interesse pessoais e o número de dias. Por exemplo, você pode reduzir o tempo no Quartier Latin e visitar a Opéra Garnier e as Galeries Lafayette. Ou programar uma visita ao Centro Pompidou ou outro museu.

Paris é relativamente pequena. Com uma superfície de 105 km2 é razoavelmente simples e agradável de visitar à pé. O transporte público é eficaz e seguro e ótimo para completar o trajeto quando der uma cansada. Você pode se locomover de ônibus ou de metrô, tranquilamente. Para quem gosta de bicicleta o Vélib é o serviço de bicicletas compartilhadas e temos um post no Almost Locals dedicado ensinando a utilizá-lo. 

Para os detalhes como restaurantes, hospedagens e ideias de compras recomendo a leitura do Guia de Paris do site Chicken or Pasta, que você pode utilizar combinando com o roteiro abaixo, marcando seus pontos de interesse como restaurantes, museus ou lojas. 

Agora chega de enrolação e vamos ao que interessa:

JOUR 1 – PARIS PELA PRIMEIRA VEZ

O ponto de partida é o metrô Bir-Hakeim. Acordar cedo e com o pé-direito é essencial para o primeiro dia! 

Afinal, quando você vem à Paris pela primeira vez se tem uma coisa que você quer ver e é ela, a estrela dos nossos cartões postais e o marco que caracteriza a capital francesa: a Tour Eiffel.

almost-locals-tour-eiffel
Foto: BFMTV

Chegar por Bir-Hakeim é um ideia legal porque a ponte de mesmo nome é linda, toda no mesmo estilo da Torre. 

Para quem curte cinema, vale lembrar da cena famosa do filme « Ultimo Tango em Paris », com Marlon Brando, que foi rodada ali!  E também o filme “Inception” teve direito a uma sequência na mesma ponte!

cc by-nc-nd Bruno Monginoux www.photo-paysage.com & www.landscape-photo.net
Foto: Photo Paysage

Você pode também visitar a Île-des-Cygnes, uma micro-ilha super calma e ver uma réplica da Estátua da Liberdade (!) e aproveitar de uma vista menos lotada, antes de ir ver de pertinho a Dama de Ferro, no Champs de Mars.

Se você estiver com energia e motivação, suba para ver a vista! Lembre-se de reservar os bilhetes antes para tentar cortar as filas (http://ticket.toureiffel.fr) e ganhar tempo. Particularmente, a vista da Torre Eiffel para mim tem apenas um problema: você vê toda Paris, mas.. sem a Torre Eiffel, porque você está dentro dela…hehehe!

Se você não animar de subir, sem problemas, o passeio pode continuar ao longo do Rio Sena na direção do lindo museu Invalides. Você pode passar na frente do jardim do Champ de Mars e em seguida na frente do Museu do Quai Branly. 

Nessa parte você pode descer até às margens do Rio Sena. Da ponte Alma até Solférino às margens do Sena são reservadas aos pedestres.

Atenção especial para a ponte Alexandre III e ao edifício dos Invalides, são construções de encher os olhos, magníficas! Você pode continuar a caminhar um pouco mais na direção da Place de la Concorde, que tem um obelisco bem no meio. De um lado você verá a Champs Elysées e de outro o Jardim de Tuileries.

almost-locals-place-de-la-concorde-paris

Neste roteiro aconselho seguir pelo maravilhoso Jardim de Tuileries, porque mesmo linda e enorme, a Champs Elysées é uma rua repleta de lojas que você encontra em todo o mundo e percorrer toda a avenida vai consumir todo o resto do seu dia. 

Seguindo pelo Jardim de Tuileries você vai dar de cara com o famoso Museu do Louvre. 

almost-locals-museu-do-louvre-paris

E ali a questão chave de quem vem à Paris pela primeira vez: entrar ou não entrar? 

Depende. O museu é gigantesco. Se você é um aficcionado das artes é uma visita incontornável, dura o dia inteiro e mesmo assim não sera possível cobrir tudo. Se não é o seu caso, você tem duas opções: fazer um passeio mais rápido, seguindo apenas o itinerário das obras mais famosas ou simplesmente…não entrar. Um monte de gente não entra e tudo bem. Cada um tem a suas prioridades e o importante é fazer uma viagem que vai te agradar, sem obrigações. Verifique horários de funcionamento (www.louvre.fr), existem dias onde é possível visitar até às 22h, o que facilita na hora de programar o dia de passeio.

Está cansado? Normal! Vir à Paris pela primeira vez é isso aí 🙂 hehe! Se ainda rolar pique continue caminhando até a Igreja Notre Dame de Paris. De lá você pode ir até a charmosa Île Saint-Louis e tomar o famoso sorvete Bertillon com uma vista linda. 

almost-locals-notre-dame-de-paris
Foto: Monuments de Paris

E à noite, para aproveitar a localização, uma boa ideia é jantar no badaladinho bairro Marais. Cheio de restaurantes e bares é uma boa para sentir um pouco o gostinho da ‘nightlife’ parisiense. 

JOUR 2 – O CENTRO DE PARIS

Para quem acha que o primeiro dia de visita foi muito, se segura que o segundo ainda tem muita coisa para ver. 

O ponto de partida é o metrô Saint Michel, no 5ème arrondissement. Logo na saída você já dá de cara com a Fontaine Saint-Michel, antigo ponto de encontro dos parisienses. Você pode andar um pouquinho e se perder pelas ruelas desse bairro delicioso, cheio de prédios antigos e charmosos. Para quem vem à Paris pela primeira vez é impossível não se encantar pelas construções originais, que de tão perfeitas parecem um set de filmagem. 

cc by-nc-nd Bruno Monginoux www.photo-paysage.com & www.landscape-photo.net
Foto: Photo-Paysage

Em seguida suba o Boulevard Saint-Michel na direção do Jardim do Luxemburgo. Esse caminho  é o coração do famoso Quartier Latin, bairro estudantil e cheio de história. Você estará pertinho da famosa universidade francesa, berço de incríveis intelectuais: a Sorbonne. Aqui nasceram muitas ideias que revolucionaram o mundo moderno. Também ali se encontra o museu Cluny da Idade Média, afinal de contas Paris é uma cidade muito, mas muito antiga e sua origem data dos tempos galo-romanos. Quem curte esse período da história não pode perder a visita. 

almost-locals-la-sorbonne-paris
Foto: Direct Matin

Quando você avistar as grades do Jardim de Luxemburgo vire à esquerda para visitar o Panthéon. O monumento é grandioso e abriga as cinzas de grandes personalidades francesas. Acho que vale a pena decidir no momento se vai entrar ou não nestes edifícios famosos, pois vai depender da sua disposição. Lembre-se sempre de consultar os horários de funcionamento. 

Depois de contemplar o Panthéon, desça novamente na direção do Jardim de Luxemburgo… e atravesse por dentro dele, aproveitando a paisagem magnífica. 

Quando você sair do outro lado do jardim, pela rua Vaugirard, estará em Odéon. Caminhando mais um pouco chegará no chiquérrimo bairro de Saint-German-des-Prés.

E por fim, você pode jantar ali ou apenas tomar o aperitivo, depende claro do seu orçamento. O bairro é muito lindo porém os preços são igualmente ofuscantes. Vale a pena pesquisar antes e, a regra de ouro em Paris: reservar com antecedência. 

Flickr Sanfamedia
Flickr Sanfamedia

JOUR 3 – A VERDADEIRA PARIS LOCAL : CONHECENDO O NORTE

Para começar esse terceiro dia de Cidade Luz, que tal uma visita insólita? Ponto de partida: metrô Père Lachaise, para ver.. o famoso cemitério francês! Ali estão enterradas celebridades como o poeta Oscar Wilde, a cantora Edith Piaf, Allan Kardec – pai do espiritismo, o rockstar Jim Morrison entre tantos outros. Além das personalidades, o cemitério é praticamente (ou literalmente rs) um parque de repouso, tranquilo e propício à reflexão. 

paris2
Foto: Paris Info

Se os argumentos não são suficientes e cemitério não é a sua praia, não tem problema, você pode simplesmente continuar a caminhar subindo o boulevard de Ménilmontant e ir na direção do  alto do parque de Belleville. Além da maravilhosa vista do parque você poderá notar a influência asiática marcante no bairro e se sentir numa mini-chinatown francesa. 

almost-locals-belleville-parc

Foto: Cityzeum

Você pode seguir descendo novamente pela rue de Belleville até o Boulevard, atravessando o parque e ver os inúmeros restaurantes chineses (alguns muito bons e baratos – ótima opção de almoço) que decoram esse bairro popular. 

Caminhando « reto toda vida » você acabará no Canal Saint-Martin, um lugar ideal para uma pausa e vedette do verão parisienses, onde os locais aproveitam para tomar sol, fazer piqueniques e curtir partidas de petanca. 

Flickr Elwin Van Eede
Flickr Elwin Van Eede

Em seguida, você pode escolher entre pegar a linha 2 ali mesmo em Stalingrad ou caminhar a pé pelo Boulevard de la Chapelle. Na parte mais popular de Paris a influência africana e oriental se mescla na arquitetura ainda haussmaniana de alguns prédios. 

O magnífico cinema Luxor em Barbés-Rochechouart contrasta com os salões de beleza e os revendedores de acessórios para celular.  Se você pegou o metrô, desça em Anvers ou Pigalle, sabendo que não estará sozinho. A horda de turistas é uma constante nessas estações próximas da Igreja Sacré-Coeur e do famoso Moulin Rouge. 

Flickr Pit Pit 75
Flickr Pit Pit 75

Não desanime, lembre-se que você está visitando Paris pela primeira vez e a recompensa é com certeza válida. Subir até a Sacré-Coeur, seja de funicular ou à pé é parte da experiência. A vista fala por si só. Descobrir e se perder entre as pequeninas ruas charmosas do bairro Montmartre vale o esforço. 

Se você decidir por comer ali, aconselho evitar estritamente os restaurantes « armadilhas para turista ». Seria uma pena chegar até ali para comer mal… por isso, faça uma boa pesquisa antes de ir e se for o caso, reserve também com antecedência. 

Outra opção mais legal é caminhar na direção de Pigalle sul, a famosinha So-Pi, novo reduto de restaurantes e bares descolados da cidade. Andar na direção de Lamarck-Caulaincourt vai te levar na parte residencial e classuda de Montmartre, com restaurantes geralmente mais custosos e mais refinados. Claro que depende do gosto e do bolso, sempre!

almost-locals-south-pigalle

Foto: região de “So-Pi” /  La Table des Anges

Como todos os roteiros, este é apenas uma sugestão voltada para quem vem à Paris pela primeira vez e de maneira bem enxuta. Claro que qualquer mudança fica a critério da criatividade de cada um, especialmente se você tiver mais dias. Temos outros posts sobre Paris com várias temáticas para melhor aproveitar a Cidade Luz.

Se você tem perguntas ou sugestões não deixe de comentar, adoraríamos saber a sua opinião! Sempre vai ter alguma coisa que vai faltar e a ideia é essa mesmo… depois de visitar Paris pela primeira vez você provavelmente vai querer voltar uma segunda, terceira e muitas outras vezes!  

**Foto de destaque: Luc Mercelis

 

Siga Almost Locals no Instagram
Acompanhe a página Almost Locals no Facebook

Comments

comments

Tags desse artigo
More from Jordana Felisberto

CRO: Porque a Croácia é a boa do verão Europeu?

Talvez você tenha entendido falar que a Croácia é a boa opção...
Leia Mais