Cinco paisagens impressionantes na Ilha de São Miguel, nos Açores

Lagoa de Sete Cidades. Foto: Flávia Motta / Almost Locals

Lá se vão quatro meses desde a nossa breve temporada na Ilha de São Miguel, nos Açores, e algumas paisagens não saem da minha cabeça. Nesse post de encerramento da série #AçoresParaBrasileiros (confere lá no Instagram), compartilhamos cinco paisagens impressionantes na Ilha de São Miguel, nos Açores.

Lagoa do Fogo, São Miguel, Açores. Foto: Flávia Motta / Almost Locals
Lagoa do Fogo, São Miguel, Açores. Foto: Flávia Motta / Almost Locals

Lagoa do Fogo

Esse era ‘o’ lugar que a gente queria visitar desde que chegou aos Açores. Uma das paisagens mais bonitas de São Miguel, a Lagoa do Fogo é também cercada de uma certa mística: por causa do relevo, como a Lagoa fica dentro da cratera de um vulcão extinto, a gente só consegue ver essa paisagem linda em momentos de céu aberto.

Não parece uma grande exigência, até que você descobre que o tempo nas ilhas é supercaprichoso e muda de ensolarado a nublado numa rapidez impressionante. Tanto que, ao fim de uma semana, só conseguimos ter as condições necessárias para apreciar essa vista no dia de partida, já poucas horas antes de embarcar. Conclusão: não deu tempo de descer para a beira da lagoa. Mas tivemos tempo mais que suficiente para admirar as cores da Lagoa do Fogo, o balé das gaivotas lá embaixo e perceber como o vaivém das nuvens alterava o tom de azul da água.

Miradouro da Grota do Inferno. Foto: Flávia Motta / Almost Locals
Miradouro da Grota do Inferno. Foto: Flávia Motta / Almost Locals

Grota do Inferno

Apesar de ter começado esse texto mencionando a Lagoa do Fogo, acho a Grota do Inferno igualmente impressionante. A Grota do Inferno é um miradouro incrível, dentro do Parque Florestal da Mata do Canário. Você chega ao parque de carro, mas o caminho para apreciar essa vista sensacional precisa mesmo ser percorrido a pé – e é bem tranquilo, não se preocupe. Chegando lá você vai se sentir familiarizado com a cena, afinal essa é certamente uma das paisagens mais conhecidas dos Açores, mas isso não vai diminuir em nada o impacto. Ali estarão você, antigos vulcões cobertos de verde, céu e as lagoas de Sete Cidades. E, claro, alguns turistas, mas não tantos que te tirem o sossego enquanto você admira tamanha beleza.

Sete Cidades: a natureza exuberante na Ilha de São Miguel, nos Açores

Parque da Caldeira Velha. Foto: Flávia Motta / Almost Locals
Parque da Caldeira Velha. Foto: Flávia Motta / Almost Locals

Caldeira Velha

Nesse pequeno parque próximo à Ribeira Grande, o grande lance é uma cascata natural de água quente e são essas piscinas quentinhas que atraem turistas em busca de relaxamento. Mas a mim o que encantou foi estar no meio de uma floresta quase selvagem cheia de samambaias gigantes. Na verdade são fetos, mas ‘samambaias gigantes’ define a grandiosidade daquilo. O parque é pequeno e tem boa infra-estrutura para visitantes (inclusive para pessoas com mobilidade reduzida). É um breve passeio que vale a pena.

Fumarolas nas Caldeiras das Furnas. Foto: Flávia Motta / Almost Locals
Fumarolas nas Caldeiras das Furnas. Foto: Flávia Motta / Almost Locals

Caldeiras de Furnas

Como diria um guia que cruzou meu caminho certa vez na Bahia, ‘em questão de boniteza’, as caldeiras de Furnas não se destacam. Mas é bastante impressionante chegar ao lugar e, de longe, ver o vapor das fumarolas e já sentir o forte cheiro de enxofre que toma conta do ar. A gente sai do parque de estacionamento e passa por uma pequena mata onde as raízes das árvores formam um tapete em alto relevo que ninguém resiste a fotografar. Avança-se um pouco mais e enfim chegamos às zonas das fumarolas: várias fontes de calor emergindo do solo, resultando em fumaça subindo e algumas poças de lama borbulhante. Uma cena para ficar na memória.

Saiba o que fazer em um dia nas Furnas, na Ilha de São Miguel, Açores

Ilhéu de Vila Franca do Campo: nossa expectativa. Foto: Reprodução / Todo Canto do Mundo
Ilhéu de Vila Franca do Campo visto do alto. Foto: Reprodução / Todo Canto do Mundo

Ilhéu de Vila Franca do Campo

Uma das paisagens mais impressionantes da Ilha de São Miguel. Trata-se de uma praia circular formada dentro da cratera de um vulcão extinto. Entrar ali não é para qualquer um. O acesso só é possível de junho a outubro e há controle do número de visitantes por dia. Para garantir seu lugar ao sol, a dica é comprar seu bilhete de barco com antecedência (custa 6 euros). A travessia é curta e a recompensa é grande. Mas se sua passagem por São Miguel não for em época balnear, dá para ver o ilhéu da costa de Vila Franca do Campo e acompanhar dali o movimento dos barcos de pescadores atentamente acompanhados pelas gaivotas.

Quer saber mais sobre o que visitar nos Açores? Entre em contato e saiba como ter um guia de viagem personalizado, com o Almost Locals Experience.

A série de posts “Açores para Brasileiros” foi idealizada pelos blogs Cultuga e Almost Locals. Essa visita à Ilha de São Miguel, nos Açores, contou com o apoio do Visit Azores, que organizou nosso roteiro; do Hotel VIP Executive Azores (Ponta Delgada), onde ficamos hospedados; da Autatlantis, que nos cedeu o carro durante nossa estadia na ilha, e da SATA – Azores Airlines, que nos ofereceu os voos de Lisboa a Ponta Delgada e de Ponta Delgada a Lisboa. Todas as opiniões neste post são da autora. 

Comments

comments

Escrito por
More from Flavia Motta

Mexefest: um festival imperdível em Lisboa

O Vodafone Mexefest, que chega à sua sexta edição em 2016, é...
Leia Mais