Paellas em Barcelona para lamber o prato

Comer paellas em Barcelona é também coisa de locais: o programa gastronômico perfeito para desfrutar entre amigos em um dia de sol, de preferência de frente para o mar. Mas cuidado, porque comer uma paella na cidade pode ser uma roubada de turista. Como detectar? Se o lugar tiver na porta um cartaz com fotinhos de paella, passe longe! Isso é o atestado que lá, são vendidas paellas congeladas e industrializadas. Outro lance é que as boas paellas não tem aquela cor amarelo neon que você vê nos pratos dos turistas nas Ramblas. Elas são uma mistura entre o amarelo e o marrom. Ou seja, quase douradas. <3

Pois a autêntica paella, essa valenciana que conquistou o mundo inteiro, mistura arroz com coelho, frango, ervilha e claro, açafrão. Algumas originais também levam caracóis e alcachofras. Nada do mar! A costa no meio do caminho entre a Comunidade Valenciana e a Catalunha foi adicionando frutos do mar à paella original, que agora existe em várias versões.

A paella original é um arroz com carnes. Já as paellas em Barcelona levam mariscos. Muitos locais a chamam simplesmente de “arroz”. Simples assim. Los arroces locais de Barcelona têm sua base vinda do Delta del Ebro, região produtora da matéria prima no sul da Catalunha. O arroz da paella pode ser seco (com os grãos soltinhos), meloso (com uma consistência de risoto, mais cremosa) ou caldoso (como o nome sugere, com muito caldo, quase uma sopa). Algumas versões de paellas em Barcelona ainda oferecem socarrat: aquele queimadinho do fundo da panela, produzindo uma crosta de arroz crocante. O meu predileto? Meloso com socarrat, perfeito para raspar o tacho!

Seja com mariscos, peixes, aves ou até mesmo cogumelos, as paellas em Barcelona (ou arroces? tanto faz!) são de lamber o prato. Aqui estão as nossas preferidas. Conselho de amigo para todos: reserve antes de ir, com pelo menos uns 3 dias de antecedência. Afinal, você e toda a torcida do Flamengo teve a original idéia de comer paellas em Barcelona.

A paella vida boa e relaxadona

Existem algumas boas paellas em Barcelona, mas comer uma maravilhosa, com o pezinho na areia em uma praia que não seja a Barceloneta, só no Xiringuito Escribà. 

Xiringuito é o nome que se dá aos quiosques na Espanha. O Escribà é um dos mais tradicionais de Barcelona, aberto durante todo o ano. Nas temporadas de calor, porém, a terraza na areia (literalmente) é aberta e tudo fica ainda mais delicioso. O restaurante fica na praia de Bogatell, uma das mais agradáveis dentro da cidade e bastante frequentada por estrangeiros que vivem em Barcelona (alou alou, tamos lá!)

A parte do Escribà que em frente a praia e aberta inclusive no inverno. Foto: Xiringuito Escribà

A paella do Escribà é um pouco defumada e tem socarrat. Prefiro quando eles trazem a panela gigante e distribuem colheres de madeira, sem pratos individuais. Assim, a paella vira uma tapa gigante, dividida por todo mundo na mesa – paella comunitária. Deliciosa! A paella do mar custa 21 euros por pessoa e a de mar de montanha, 21,50. Eles ainda servem as versões de Valencia, uma vegetariana com cogumelos e aspargos, uma de arroz negro com lulas (21 euros), outra de verduras (18 euros), uma versão especial com polvo e finalmente, a de lagosta (34 euritos).

A que agrada aos pais tradicionais e seus filhos descolados

Se tem um tipo de lugar que amo é aquele restaurante super tradicional, com garçons que trabalham lá durante toda a vida e maîtres que sabem servir como ninguém. Com comida e bebida impecáveis – e uma decoração que era chique nos anos 70, mas hoje é um lugar de tiozinho. O Carballeira, na Barceloneta, é isso.

Conhecido entre a clientela local e old money da cidade (seja a mais velha ou a jovem também), o Carballeira é um restaurante que serve banquetes do mar da cozinha galega, tudo fresquíssimo (eles têm aquele clássico aquário na entrada) e com a qualidade explodindo lá no teto. O preço médio por pessoa, da refeição completa, sai em torno de 45 euros. Com vinho, paella e sobremesa.

A paella de lagosta do Carballeira. Foto: Carballeira

O arroz com lagosta é bem caldoso, riquíssimo, denso e com sabor de mar. Para quem curte um socarrat, o arroz a la banda tem textura quase de “biscoitinho paella”, delicioso. Além disso, servem as clássicas paellas de marisco e de arroz negro. Se for um dia de sorte, a paella de espardeñas (posso traduzir o nome desse molusco como pepino do mar?) estará disponível. Para quem quiser provar uma paella rara. Uma refeição para um dia de excessos.

A escondidinha e baratinha

Assim que cheguei em Barcelona, li no blog da querida Dri Setti que o Envalira era a melhor entre as paellas de Barcelona no quesito preço amigo. Amor à primeira vista. Esse restaurante, que é uma portinha escondida na agitada Plaça del Sol em Gràcia, tem decoração simples e quase não tem janelas. Mas o serviço é amigável (principalmente do garçom que é galego e fala com todos os brasileiros) e o arroz é servido de diversas formas: paella (mar e montanha), marinera (só frutos do mar), milanesa (com queijo, deliciosa e caprichada no socarrat) e o arroz negro, um dos meus preferidos de Barcelona, bem cremosinho. Tudo isso em torno de 15 euros por pessoa. Não esqueça de pedir o alioli!

Ao entrar e sair do Envalira, repare no prédio que fica em cima. Apesar de ser humilde, é todo trabalhado nos detalhes do modernismo e tem as cores da Mangueira- verde e rosa. Bem interessante!

A defumada

O nome vai gerar piadinhas. O Kaiku é uma paella bem tradicional da Barceloneta, disputada a tapa nas reservas. Adoro ir lá durante a semana, em meses como maio ou setembro, quando a praia não está aquele inferno Barceloneta e seus turistas doidos sem-noção durante junho a agosto. O ambiente é bem simples, restaurante de pescador mesmo, com a terraza exterior com mesas de alumínio. O luxo está em comer uma paella com um vinho branco geladinho de frente para o mar. Mesmo que seja na praia da Barceloneta, eca.

paellas em Barcelona
A paella do Kaiku é defumada e leva menos açafrão. Foto: Sarah Galvão

A paella do Kaiku é diferente porque ela é bem defumada, uma das técnicas tradicionais de cozimento desse prato. Por isso, ela não tem o gosto acentuado do açafrão como nas outras, já que ela é mais esfumaçadinha. O preço fica em torno de 21 euros por pessoa.

A esnobe com denominação de origem

Barceloneta é o bairro dos pescadores da cidade e por isso, algumas das melhores paellas de Barcelona estão por lá, assim como as piores para pegar turista, também. O Suquet d´Almirall fica no Passeig de Joan Borbó, a veia por onde milhares de turistas passam entre o metrô e a farofenta praia da Barceloneta. Mesmo que o fluxo seja grande, o melhor lugar para provar a paella do Suquet é na terraza, com vistas para o porto antigo. Até o local onde o restaurante tem história: fica em uma antiga oficina onde barcos eram construídos. As réplicas das caravelas do Colombo eram produzidas lá.

paellas em Barcelona
Pedomos paella e arroz negro no Suquet. Foto: Sarah Galvão

Dá para provar muitos tipos de paellas no Suquet, desde a catalã (o clássico mar e montanha, com carnes e frutos do mar, 22,90 euros por pessoa), a da Barceloneta (100% frutos do mar, 28 euros), de lagosta (24 euros) e até uma versão vegetariana valenciana (19,50 euros). Os ingredientes são os mais frescos possíveis, já que diariamente, a equipe do Suquet compra tudo na Lonja de Barcelona (o entreposto), a 100 metros do restaurante.

E você, tem outras paellas em Barcelona que morem no seu coração?

Foto de destaque: Chris Oakley

Veja aqui restaurantes de tapas em Barcelona que não estão em todos os blogs

Comments

comments

More from Sarah Oliveira

BCN: Dry Martini, drinks old school

O 14 melhor bar do mundo está em Barcelona! O Dry Martini...
Leia Mais