LIS: Em busca de um bom bacalhau em Lisboa? Vá ao Zé da Mouraria

Restaurante Zé da Mouraria
Restaurante Zé da Mouraria. Foto: Reprodução / http://www.allaboutportugal.pt/

Diferentemente do que muita gente pensa, portugueses não comem bacalhau todos os dias (já expliquei isso nesse post aqui). Já nós, brasileiros, quando de passagem por Portugal, dificilmente resistimos a essa delícia – meu pai, por exemplo, nos 15 dias que passou aqui alternava suas escolhas entre sardinhas assadas e bacalhau ‘à qualquer moda’. Como a oferta em Lisboa é grande, muita gente quer a dica de um local (ou quase local, no caso) para comer um bacalhau que não seja uma pegadinha turística. E quem me pergunta onde comer um bom bacalhau em Lisboa, ouve de mim sempre a mesma resposta: Zé da Mouraria.

O Zé da Mouraria é uma tasca que serve o meu bacalhau preferido em Lisboa. No meio da labiríntica Mouraria, um dos bairros mais antigos e característicos da cidade, o restaurante tem sempre fila de espera. Foi por causa dela que um dia, andando ao acaso pelo bairro, o encontrei. Entrei na Rua do Capelão e avistei um aglomerado de gente – todos portugueses. Confesso: eu tenho um fraco por restaurantes com filas de locais à porta, ainda mais quando são em lugares escondidinhos. É sinal de que há coisa boa por ali.

No caso do Zé, coisa ótima! Um bacalhau às lascas assado, acompanhado por grão de bico e batatas ao murro, tudo regado a muito (MUITO!) azeite com alho. Em dose farta, claro, como é costume por aqui. O prato é servido apenas às sextas e sábados (#ficaadica). E, chegando à porta, mesmo que tenha espera, avise caso seja isso que queira comer.

 

Eu lembro bem da primeira vez no Zé da Mouraria: tinha tudo para ser um legítimo programa de índio, mas acabou sendo um dia divertidíssimo. Depois de quase duas horas de espera, quando afinal sentamos e pedimos o bacalhau, ouvimos um lacônico ‘já não há’ do Rui, o cara que acabou virando nosso garçom preferido em Lisboa. Acabamos optando pelo outro especial do sábado: choco – um tipo de lula, numa definição simplista – assado no alho com batatas fritas (portuguesas, com certeza).

Não é só bacalhau! Descubra 5 delícias que você precisa provar em Lisboa

Estávamos sentados ao lado de três portugueses, nesse esquema de mesas compartilhadas que é supercomum nas tascas lisboetas, e quando descobrimos que um deles trabalhava na TAP e estava com viagem marcada para o Brasil, nos metemos na conversa. De ‘Manaus é bem diferente do Rio de Janeiro’ para ‘Provem aqui do nosso bacalhau’ foram poucas frases. A tarde rendeu ainda sete garrafas de vinho e algumas doses de bagaceira – aguardente de uva – e o Rui implorando para irmos (os cinco) embora porque precisava fechar o restaurante.

Talvez seja por isso que eu tenha um carinho especial por essa casa e indique o para todas as pessoas que me pedem alguma dica de Lisboa (fato é que todo mundo me agradece pela dica depois). Sem frescuras, sem luz indireta, sem projeto refinado de decoração de interiores, o segredo do Zé da Mouraria para mim está na boa comida e no jogo de cintura dos funcionários, que não perdem o bom humor diante de um salão sempre cheio.

O típico varal português, na rua do Zé da Mouraria. Foto: Flávia Motta
O típico varal português, na rua do Zé da Mouraria. Foto: Flávia Motta

O Zé da Mouraria original abre apenas para almoço. Para jantar o famoso bacalhau – preparado e servido pela mesma equipe – a opção é o Zé da Mouraria 2, casa aberta no ano passado e que funciona apenas à noite. E se bacalhau não é o seu forte (pois, há quem não goste…) o cardápio tem outras boas e fartas opções. Há uns bifinhos na manteiga de alho que eu um dia ainda crio coragem de pedir, em vez do bacalhau. UPDATE: Afinal provei os bifinhos na manteiga de alho e são mesmo sensacionais.

E você, tem alguma dica de bacalhau imperdível em Lisboa? Divide com a gente nos comentários que eu vou lá provar.

Seu negócio é hambúrguer? Então veja 4 lugares onde você vai comer um bom hambúrguer em Lisboa

Zé da Mouraria

Onde: Rua João do Outeiro 24 (Metro: Martim Moniz)
Tel.: +351 218 865 436
Horário: Segunda a sábado, 12:00 às 16:00
Estação próxima: Martim Moniz

Zé da Mouraria 2

Onde: Rua Gomes Freire 60, Campo dos Mártires da Pátria
Tel.: +351 216 084 695
Funcionamento: Segunda a sábado, 19:30 às 23:30
Estação próxima: Intendente


Quer saber mais sobre o que visitar em Lisboa? Entre em contato e saiba como ter um guia de Lisboa personalizado, com o Almost Locals Experience.

Comments

comments

Escrito por
More from Flavia Motta

Exposição ‘Cidade Gráfica’ reúne antigos letreiros de Lisboa no Convento da Trindade

Há dois anos os designers Rita Murias e Paulo Barata começaram a...
Leia Mais

2 Comentários

Os comentários estão fechados