LIS: Mitos e verdades sobre os portugueses (parte 2)

Lisboa vista do Castelo São Jorge. Foto: Flávia Motta
Lisboa vista do Castelo São Jorge. Foto: Flávia Motta

Faz um tempinho eu escrevi um primeiro texto falando de alguns mitos e verdades sobre os portugueses. Conforme prometido, aqui vai a segunda e última parte. Conta lá nos comentários se você concorda ou não com a lista.

Portugueses dizem ‘ora, pois’
Mito. Eu nunca ouvi essa expressão e de uns tempos para cá fico meio agoniada a cada vez que um brasileiro solta um ‘ora, pois’ se sentindo um autêntico descendente de Camões (rs). Cá por Lisboa, eu só ouço ‘pois’, que funciona como o nosso ‘pois é’, e eu mesma já adotei a forma portuguesa.

 

O bolinho de bacalhau em Portugal é maravilhoso
Mito. Eu sei que estou me enfiando numa polêmica, mas até que me provem o contrário… Em um ano morando em Lisboa eu nunca consegui comer um bolinho de bacalhau melhor que o do Adonis, da Adega d’Ouro ou do Cantinho das Concertinas, a embaixada portuguesa honorária no Rio de Janeiro. Veja bem, eu não estou dizendo que portugueses não fazem o melhor bolinho de bacalhau do mundo. Só acho que esses estão no Brasil. Brincadeiras à parte, basicamente o problema mais frequente é que o bolinho não costuma ser frito na hora, o que implica que você quase sempre (tipo 99% das vezes) coma o dito cujo frio mesmo. E ainda há qualquer coisa com os temperos que também não me apetece.

 

Portugueses têm preconceito com brasileiros
Mito, com ressalvas. Eu cá em Lisboa nunca percebi nenhum tipo de preconceito. Mas soube que em cidades menores pode ser um pouco diferente – inclusive recentemente virou notícia que o aeroporto de Faro vinha fazendo uma triagem mais rigorosa entre as brasileiras que entravam sozinhas no país. Eu também já ouvi casos de brasileiros que foram preteridos no trabalho porque o concorrente era português (mas tenho minha dúvidas se um caso desses seria necessariamente preconceito). Há portugueses preconceituosos? Há, mas como há preconceituosos em qualquer lugar.

 

Portugueses são tristes
Mito. Portugueses são mais tranquilos, reservados, um tanto saudosistas e até mais melancólicos. Mas um povo que organiza 174 festivais de música no ano, faz o Santo Antonio de Lisboa durar um mês e realiza um São João inesgotável como o do Porto, não pode ser triste. Um amigo português me fez essa comparação de estados de espírito e me pareceu razoável: portugueses são o fado, brasileiros são o samba. Ouça Raquel Tavares e descubra que nem todo fado é triste. Ouça Nelson do Cavaquinho e lembre-se que nem todo samba é alegre.

 

Portugueses são literais
Verdade. A minha percepção aqui é que se você não fizer a pergunta certa, vai receber a resposta errada. Brasileiro conta muita história de português e algumas eu já considero lendas urbanas, mas resolvi reunir aqui três causos que eu vivi – ninguém me contou – e daí você decide se concorda ou não comigo.

  • Bar cool lotado, sem nenhum assento disponível, vejo uma poltrona com dois capacetes confortavelmente acomodados. Me aproximo e pergunto: “Essa poltrona está ocupada?”. “Os dois capacetes estão aí”, me responde o sujeito, sem ironia.
  • Nos arredores do estádio de futebol, circulo pelas ruas à procura do acesso do metrô e não encontro. “Senhor, por favor, tem saída do metrô por aqui?” “Tem sim. Tanto saída quanto entrada.”
  • No Porto, entramos no ônibus com três passes de transporte zerados. Perguntamos ao condutor se é possível carregar a bordo e ele diz que não, que temos que procurar um ponto de venda próximo. Já estamos quase descendo do veículo quando eu resolvo perguntar se não é possível pagar em dinheiro. ‘Sim, custa 1,85’

 

A foto que abre este post mostra a Baixa de Lisboa vista do Castelo de São Jorge e é de Flávia Motta.


Quer saber mais sobre o que visitar em Lisboa? Entre em contato e saiba como ter um guia de Lisboa personalizado, com o Almost Locals Experience.

Comments

comments

Tags desse artigo
,
Escrito por
More from Flavia Motta

Pensão Amor: uma incursão pelo antigo bordel que virou bar trendy em Lisboa

Era o ano de 2015, quando um repórter do New York Times...
Leia Mais

4 Comentários

  • Oi Flávia adorei seu blog,como são os rapazes dai ? São diferente dos brasieliros em relação ao jeito ?

    • Oi Dani, que bom que gostou do blog.
      Eu não sei te responder essa pergunta. Acho muito difícil definir um jeito para as pessoas, em qualquer lugar do mundo. Acho que é generalizar um pouco…

  • o fato de eles serem literais é realmente uma coisa q as vezes nos surpreende. Certa vez, ao telefone com meu sobrinho, perguntei o que ele estava fazendo e ele me disse: estou a falar contigo! Adoro Portugal, quem sabe um dia tbem nao vou p a terrinha? Bjk

Os comentários estão fechados