Desconhecidos e intrigantes museus em Paris

Paris não é só sinônimo de Louvre, Musée d’Orsay e Grand Palais. A cidade também é recheada de maravilhosos desconhecidos museus, sempre dotados de muito charme e história. Quem disse lá traz que as coisas mais interessantes estão nos lugares mais desconhecidos? Bom, talvez o correto seja « Os melhores perfumes estão nos menores frascos », mas, enfim, vocês entenderam o que eu quis dizer.

Street art é no Art 42

Começamos a jornada pelos museus em Paris pelo Art 42 , o primeiro museu de street art da França, inaugurado no ano passado e localizado dentro de uma escola de arte alternativa, a 42, fundada pelo colecionador Nicolas Lassere. Grande amante do tema, ele juntou obras de gente como Banksy, JR, Jef Aérosol, Blu, Bault, Shepard Fairey, Invader, e outros menos conhecidos como Madame e Monkey Bird. As obras estão espalhadas no meio da escola, e é interessante ver os alunos estudando no meio das visitas guiadas.

Onde? Boulevard Bessières, 75017, Paris; Metrô Porte de Clichy. É obrigatório fazer reserva antes de visitar o local: há visitas guiadas de 45 minutos a 1 hora. Aberto às terças, de 19h às 21h, e sábados, de 11h às 15h. Entrada gratuita.

Museu do Perfume

Outra descoberta incrível dos museus em Paris é o Grand Musée du Parfum, récem instalado na rue du Faubourg Saint-Honoré, com setenta cheiros diferentes, espalhados por todo o sentido da visita. Sabe como a gente faz num museu de arte? Aqui é mais ou menos a mesma coisa, mas o caminho é percorrido para se sentir odores diferentes, como rosa, manjericão, citronela e até cannabis. O mais interessante são as instalações que foram montadas para abrigar as essências, como alcovas iluminadas que protegem o visitante e o fazem mergulhar num mundo de cheiros: o percurso é completamente sensorial e nos faz mergulhar num mundo paralelo.

Foto: Grand Musée du Parfum

São três andares que contam a linha do tempo dos odores, desde o Egito até os dias atuais; tem até um sofá que testa nossa memória olfativa (sabe aquele cheiro de bolo de fubá da sua avó? e o cheiro de roupa lavada e café da casa dos seus pais? então, é por aí). Outro motivo para visitar esse espaço: o local é uma antiga mansão do século XIX, antiga morada do barão Antoine-Marie Roederer, e mais, recentemente, o ateliê de Christian Lacroix. Luxo, né?

Onde? Grand Musée du Parfum – 73 rue du Faubourg Saint-Honoré, 75008, Paris; Metrô Miromesnil. De terças a domingos, de 10h30 às 19h, noturnas às 22h às sextas-feiras. Preço: 14€ (adultos), 5€ (crianças), 9,5€ (preço reduzido) e pacote famílias por 33€.

Museu dos parques de diversão 

Pode parecer louco, mas existe um museu dos parques de diversão em Paris, o Musée des Arts Forains. O local em si só já é especial, um antigo salão de vinhos construído por um aluno de Gustave Eiffel (aquele mesmo que construiu a torre). O que se vê por aqui? Atrações de antigos parques que foram reformadas, sendo que esses parques datam do fim do século XIX e começo do século XX. Exemplos desse mundo onírico: um jardim com lustre de cristal pendurado nas árvores, uma fonte mágica, um balão em forma de elefante, um unicórnio (sim, vocês tinham dúvida que eles existiam mesmo?) que toca piano. O quão interessante pode ser tudo isso? Veja bem, o assunto é tão surreal que pode até virar tema da sua tese de mestrado. Mas, atenção, a visita só pode ser feita com reserva antecipada e acompanhada de um guia.

Onde? Musée des Arts Forains – 53 avenue des Terroirs de France, 75012, Paris; Metrô Cour Saint Emilion. Reservas no telefone +33 1 43 40 16 15 / Visitas de 1h30. Preço: 14€ (adultos) e 5€ (crianças de até 12 anos).

Casa de Augusto Comte

O preferido dessa lista de intrigantes museus em Paris na verdade é um apartamento. Local esse que continua intacto desde 1857: trata-se da antiga casa do sociólogo e filósofo Auguste Comte, a Maison d’Auguste Comte, que faleceu em seu leito de morte em 1857. É isso mesmo, desde sua morte, seus seguidores (ele também criou uma religião, além da corrente positivista, lembram?) e admiradores fizeram de tudo para manter tudo em seu lugar, desde os móveis até os objetos pessoais e de decoração. Em espaçosos 150m2 (coisa raríssima em Paris), o apartamento se divide em cozinha e quarto de empregada, sala, escritório com vasta biblioteca, sala de aulas privadas, e quarto. Objetos pessoais como seu chapéu, sua balança de alimentos e roupas de cama ainda podem ser vistos no local.

Onde? Maison d’Auguste Comte – 10 rue Monsieur-le-Prince, 75006, Paris; Metrô Odéon. O local é aberto às quartas e sábados das 14h às 17h, com visitas guiadas às 14h e 15h sobre o pensador e sua obra. Preço: 4€ (adultos), 2€ (crianças) e gratuito para pessoas desempregadas e sem recursos financeiros.

A Biblioteca-museu do Ópera Garnier

Instalada no antigo Pavilhão do Imperador (onde trabalhava Napoleão III no Segundo Império), a Biblioteca Museu do Ópera propõe ao grande publico mais de 600 mil documentos, entre livros, jornais, programas, fotos, estampas, arquivos, materiais de orquestra, entre outras joias do patrimônio francês. Além dos documentos, temos roupas e bijoux de cena, maquetes de décor das óperas, quadros, objetos, etc. Uma verdadeira caverna de Ali Babá, porém tudo é devidamente classificado e numerado, bem à la francesa. Do lado do jardim do magnifico Opera Garnier (não confunda com o Opera Bastille, mais moderno e no bairro da Bastilha), o espaço conta com sala de leitura, antigo fumódromo no qual as coleções permanentes foram instaladas, e uma rotunda, onde são expostas as coleções temporárias.

Onde? Bibliothèque-musée de l’Opéra (BMO) – Palais Garnier: 8 rue Scribe, 75009, Paris; Metrô Opéra. Aberta de segunda à sábado das 10h à 17h. Preço: 11€ (inclui o acesso a todos os espaços do Ópera).

E você, conhece algum outros curiosos museus em Paris?

Foto de destaque: Flickr John Kroll

Comments

comments

Tags desse artigo
Escrito por
More from Cibele Maciet

Manual da paquera em Paris

Nossa convidada, a jornalista e fashionista Cibele Maciet, conta como funciona a...
Leia Mais