Rock in Rio 2017: 5 dicas pra não passar perrengue no festival

Rock in Rio: a nova Cidade do Rock;. Ilustração: Divulgação Rock in Rio
Rock in Rio: a nova Cidade do Rock;. Ilustração: Divulgação Rock in Rio

A cada dois anos, o Rio de Janeiro se transforma na Capital da Música para receber o Rock in Rio. Em 2017, o maior festival musical do planeta acontece de 15 a 24 de setembro e quem tem seu ingresso garantido já começa a se planejar. Em grandes eventos como esse, o risco de passar perrengue é sempre maior que o normal – mesmo pra quem é local. Por isso, reunimos aqui 5 dicas pra você evitar roubadas e se divertir sem preocupação na Cidade do Rock.

Como chegar

Na edição 2017, o Rock in Rio muda de lugar e a Cidade do Rock passa a ser no Parque Olímpico, em Jacarepaguá, já bem conhecido pra quem esteve na cidade durante as Olimpíadas Rio 2016. Com isso, chegar e sair fica bem mais fácil esse ano.

De cara, é bom saber que ir de carro não é uma opção, uma vez que o acesso aos arredores fica restrito aos veículos de moradores e da produção do evento. Nem táxis, Uber ou Cabify têm vez por lá, portanto.

O melhor esquema de transporte público é a dobradinha Metrô+BRT, que deixa pertinho dos portões da Cidade do Rock. As linhas regulares do BRT, que já circulam 24 horas normalmente, vão receber reforço na madrugada nos dias de festival, transitando pelos corredores Transoeste, Transolímpico e Transcarioca.

Pra quem vai de metrô, vai haver uma linha direta ligando a estação Jardim Oceânico ao Rock in Rio, sem paradas. A estação Jardim Oceânico ficará aberta 24h nos sete dias de festival. Para ter acesso à dupla Metrô+BRT é preciso ter o cartão de integração de transportes RioCard e carregar com o valor correspondente das passagens (R$ 4,30 para cada viagem de metrô e R$ 3,80 por viagem de BRT).

Importante: o cartão do metrô não dá acesso ao BRT. O ideal é carregar o cartão RioCard com antecedência, para evitar contratempos. Para facilitar as vendas para quem é de fora da cidade, a RioCard está vendendo um cartão comemorativo do Rock in Rio, a R$ 3, em vários pontos de venda na cidade.

Quem curte um pouco mais de conforto, também tem a opção de comprar um passe para o transporte Primeira Classe do Rock in Rio, um ônibus executivo expresso de ida e volta, sem paradas, que sai de 16 pontos em diferentes regiões da cidade. A venda só é feita antecipada e está disponível pela internet e em dois pontos físicos: no Botafogo Praia Shopping e no Shopping Downtown.

Muito além do Rock In Rio – 10 lugares pra curtir rock’n’roll na cidade

O que comer

Uma das novidades do Rock in Rio 2017 é o Gourmet Square, um espaço gastronômico coberto e climatizado, com mil metros quadrados, 14 bares e restaurantes e capacidade para 500 pessoas sentadas. O espaço é inspirado no Mercado da Ribeira, de Lisboa, e vai reunir chefs badalados – como Roberta Sudbrack, Jimmy Ogro e Pedro Benoliel – e opções que vão de comida japonesa a nordestina, passando por hambúrguer artesanal, pizza e cachorro-quente gourmet.

Além do Gourmet Square, o Rock in Rio terá lanchonetes e quiosques espalhados pelas áreas no entorno dos palcos Mundo e Sunset, além da Rock District, da Rock Street Africa e dos brinquedos.

Vegetarianos e veganos também terão vez no Rock in Rio. O Gourmet Square vai abrigar o hypado Açougue Vegano, com seus quitutes sem produtos de origem animal – inclusive a famosa coxinha de jaca – e o Gouranga Veggie, com sua culinária de inspiração indiana. Além dos dois restaurantes 100% vegetarianos, os demais estabelecimentos e quiosques também vão preparar opções pra quem não come carne, como o sanduíche vegetariano de Pedro Benoliel.

O que pode levar

Passar um dia no Rock in Rio é uma verdadeira maratona, por isso é sempre bom sair de casa preparado, com uma bolsa ou mochila com itens de primeira necessidade. Mas o festival tem várias restrições de objetos na entrada, então é bom ficar atento pra não ficar na mão.

Protetor solar é item indispensável e permitido pra levar na bolsa. Mas, se o tempo estiver chuvoso, nem adianta levar guarda-chuva. Não vai passar pela inspeção na entrada. Pra não ficar molhado, vale levar capas de chuva descartáveis, dessas que se compram no camelô.

Quer levar lanche de casa? OK, mas cada pessoa só poderá levar um máximo de 5 itens e os alimentos precisam ser, preferencialmente, industrializados e devidamente lacrados (biscoitos, torradas, barras de cereal, etc). Frutas só cortadas e acondicionadas em embalagem plástica transparente e não rígida, do tipo “Zip Lock”. Sanduíches também só são permitidos em saquinhos do tipo “Zip Lock”. Não entra nada com tampa ou em potes de plástico.

E se bater a sede? Não é permitido entrar com qualquer tipo de bebida, mas o Rock in Rio terá vários bebedouros espalhados pela Cidade do Rock. Você pode levar garrafinha plástica de casa, desde que sem tampa. Squeezes e outros tipos de garrafas não são liberados, assim como isopor e cooler.

Perfumes e cosméticos, inclusive desodorante, pasta ou escova de dente, também não entram, assim como grandes objetos, como cadeiras de praia, skates e bicicletas. Nem o popular pau-de-selfie é permitido. Fica a dica.

Guarda-Volumes

Vai pro Rock In Rio com a mochila cheia, mas não quer passar o dia carregando peso? Seus problemas acabaram! O festival vai alugar armários pra quem quiser ficar livre, leve e solto durante o festival.
Os lockers têm 27cm (largura) X 45cm (altura) X 42cm (profundidade) e vão ficar em uma área toda monitorada por câmeras. Você pode acessar seu locker a qualquer momento, além de poder compartilhar com os amigos. O serviço vai funcionar das 14h às 5h nos sete dias de evento.

Como o número de lockers é limitado, pode não ser uma boa deixar para alugar de última hora. No site do RiR você pode reservar com antecedência e, na venda antecipada, a diária dos guarda-volumes custa R$ 35 + R$3,50 de taxa de conveniência, que podem ser pagos por cartões de crédito ou PayPal. Se for comprar na hora, o valor passa para R$ 40 e pode ser pago com sistema de cartões de débito e crédito ou em dinheiro.

Recarregando a bateria

Daí que vai começar o show mais esperado da noite e a bateria do seu celular acabou? Não precisa fazer drama. A Cidade do Rock terá vários pontos de OPTrees: árvores com painéis solares onde você pode carregar o seu celular utilizando energia solar.

Outra opção é, junto com o locker, alugar também um carregador portátil de 2200 mAh. O combo sai a R$ 70 reais antecipados, com masi R$ 3,50 de taxa de conveniência.

Quer saber mais sobre o que visitar no Rio de Janeiro? Entre em contato e saiba como ter um guia do Rio personalizado, com o Almost Locals Experience.

Comments

comments

Tags desse artigo
Escrito por
More from Erika Azevedo

Com esquema pague-quanto-puder, Curto Café tem na confiança a alma do negócio

A confiança é algo que cativa qualquer freguês. No caso do Curto...
Leia Mais