Dicas de Budapeste para curtir a cidade

Fomos para Budapeste com aquela expectativa de encontrar um oásis no Leste Europeu. As promessas eram de comida e bebida barata, além de uma noite animada e arquitetura comunista interessante.  O que encontramos não foi bem isso. Para nós, a atmosfera da cidade tem uma pegada decadente e uncool, ao contrário de Berlim, que é suja, sexy, jovem e criativa. Era comum encontrar gente vomitando a qualquer qualquer horário em Budapeste, além do clima triste nas ruas. Uma cidade um pouco fria no seu jeito de ser. Mesmo com dicas de Budapeste anotadas, não ficamos muito impressionadas.

Assim que chegamos, numa sexta a noite, fomos à Akácfa utca, rua que concentra alguns dos bares famosos da cidade. Saímos correndo. Muita gente jovem atrás de bebida barata, filas intermináveis para entrar nos bares, música ruim e claro, gente vomitando para todos os lados. A comida local é pesada, gordurosa e nada apetitosa. Tanto que os lugares mais gostosos que fomos não eram de especialidade húngara. Já os bons preços, talvez tenham ficado no passado vermelho. Não conseguimos comer bem por menos de 20 euros por pessoa – mesmo nos lugares mais simples – e a cerveja custava o mesmo que em cidades como Barcelona. Tudo ao contrário de Praga – essa sim, baratíssima e farta.

Claro que Budapeste tem seus cantinhos mágicos e programas que valem a pena serem feitos. Não vamos dar uma de 100% chatas! Como opinião é uma coisa pessoal e intransferível, tem que ir lá, conhecer e ter suas próprias impressões. Por isso, separamos os highlights da nossa visita a capital da Hungria: aqueles programas que, mesmo que não sejamos super fãs da cidade, fizeram da viagem algo mais divertido. Ou seja, dicas de Budapeste para encantar até os mais pentelhos.

O banho termal mais bacana de Budapeste

Dicas de Budapeste

Depois de bater perna por Budapeste, os melhores lugares para descansar são os famosos banhos. A cidade tem por volta de 120 fontes termais, que garantem águas quentinhas naturalmente.  Por esse motivo e outros, as termas são o programa preferido dos locais – principalmente nos dias de frio. O mais bacana deles é o Géllert, que mistura uma arquitetura art-nouveau, modernista e com uma sala de massagem saída de um filme do Wes Anderson.

O complexo aquático conta com 12 piscinas internas e externas, com temperaturas que variam entre 21°C e 40°C. O momento wow fica por conta dos ambientes internos, cujas paredes, chão e teto são totalmente revestidos de mosaicos onde o azul predomina, dando aquele relaxamento total quando você estiver dentro de uma piscina a 36°C. Provavelmente, você vai se perder indo de um complexo ao outro, principalmente nos vestiários, que parecem labirintos saídos de um filme de espionagem russa. Por lá, locais e turistas se misturam e desfilam seus corpos de todos os tamanhos e formas sem nenhuma vergonha. Demais!

O hotel em Budapeste

O Danúbio – que desculpe informar, não é azul –  talvez seja a maior estrela de Budapeste. O rio é a linha divisória entre as antigas cidades de Buda e Peste e além disso, é um dos principais  e maiores da Europa. Por isso, ficamos no Lánchid 19 Design Hotel quando passamos pela cidade, já que ele está situado de cara para o gol – de frente para o Rio Danúbio e literalmente ao lado do Castelo de Buda.

Os quartos têm vistas panorâmicas para o rio e outros locais icônicos de Budapeste, como o Parlamento. Quando abrimos a porta, fomos direto para a janela e ficamos grudados no vidro, babando. O motivo está aí embaixo!

Hotel em Budapeste
Foto: Design Hotels

O hotel fica em Buda, a parte mais histórica da cidade, a apenas 10 minutos topo do Castelo e a 4 minutos do funicular que sobe o monte. Ou seja, dá para visitar algumas das atrações principais da cidade sem nenhum esforço. Outro highlight é voltar à pé de Peste para o Lánchid 19 durante a noite. Ao cruzar a ponte Széchenyi Lánchíd, nossa vista para o castelo iluminado – com o hotel logo abaixo – foi o momento romântico da viagem. Nosso coração derreteu um pouquinho pela capital húngara nesse instante e chegamos no quarto totalmente de bem com a cidade. Essas caminhadas noturnas pelas pontes é uma das nossas dicas de Budapeste para curtir mais a cidade.

Esse hotel em Budapeste é parte da Design Hotels, um selo global que escolhe a dedo hotéis onde a arquitetura, decoração e design são importantes.  Por isso, o mobiliário conta com peças assinadas por empresas e designers como Erwan&Ronan Bouroullec, George G. Sowden e Philippe Starck. Ou seja, contemporâneo e arrojado. Porém, acordar com aquela vista maravilhosa pro Danúbio é bem mais bacana que qualquer móvel.

As vistas voltando para o Lánchid 19 a noite

O point descolado de Budapeste

A cidade ainda guarda um pouco da atmosfera decadente da sua época comunista, que vai aos poucos desaparecendo e dando lugar a uma vibe mais jovem e festiva. Os ruin bars de Budapeste são uma representação dessa transformação social e cultural. Localizados em antigas casas abandonadas, esses bares – já que estão em casas enormes – contam com diferentes ambientes e uma decoração improvisada, misturando objetos vintage e outros sucateados.

Os ruin bars se concentram no bairro judaico de Budapeste, onde fica o epicentro do cool da cidade – a descolada e jovem área da Rua Kíraly. Conhecida como a Design Street da cidade, lá é o endereço para conhecer os artistas e marcas locais,  além de galerias de arte como a G13 Art Gallery e a Boulevard & Brezsnyev Gallery.

Como gostamos entrar nas quebradas, uma de nossas dicas de Budapeste é explorar a Kazinczy utca. Lá, os diversos bares estão localizados em jardins gigantes com uma vibe de Berlim: muito verde misturado com street art, estruturas detonadas e gente jovem com uma cerveja na mão. O Köleves, Mika e o Elátó são alguns exemplos desses bares underground cheios de charme.

Temos outras dicas de Budapeste aqui, onde contamos sobre bons restaurantes que visitamos por lá. Mesmo sem ter curtido muito a cidade, tivemos momentos bastante divertidos por lá . Se tiver pensando em ir – ou com viagem marcada para Budapeste, não pense duas vezes: vá e tire suas próprias conclusões!

E você, tem outras dicas de Budapeste para curtir a cidade?

Comments

comments

Tags desse artigo
More from Sarah Sioli Galvão

BCN: Laurel, empanadas melhores que as de Buenos Aires

Falar que uma empanada Argentina em Barcelona é melhor que as mais...
Leia Mais

1 Comment

Os comentários estão fechados