De Lisboa a Fátima: tudo o que você precisa saber sobre essa viagem

Procissão do Adeus. Foto: Facebook / Santuário de Fátima
Procissão do Adeus. Foto: Facebook / Santuário de Fátima

Eu conto isso com certa vergonha mas foi só recentemente (tipo, uma semana atrás) que eu finalmente fui de Lisboa a Fátima, a cidade mais católica de Portugal. A demora se deve ao fato de que eu não sou uma pessoa muito religiosa. Mas agora, depois da visita, posso dizer que deveria ter ido lá antes.

Sim, os maiores atrativos de Fátima estão centrados na religião: o Santuário de Fátima, o Museu Interativo, o Museu de Cera, as lojas de souvenir. Até os nomes dos hotéis e das ruas têm apelo religioso ali. Já tinha ouvido isso antes e lá, in loco, pude confirmar: Fátima tem uma energia especial. É claro que isso se deve à devoção das pessoas. Você pessoas peregrinando de joelhos, apertando o terço nas mãos, se emocionando, acendendo velas, pedindo, agradecendo e eu acho meio impossível ficar indiferente a isso.

Santuário de Fátima
A oração do peregrino logo na chegada ao Santuário. Foto: Flávia Motta / Almost Locals

Fátima fica no Concelho de Ourém, na região Centro de Portugal. A cidade se chamava Cova da Iria até começar a sequência de milagres de Nossa Senhora, cujo centenário se celebra em 2017, ano em que Fátima vai receber a visita do Papa Francisco.

As aparições de Fátima

Conta a história que no dia 13 de maio de 1917, três crianças pastorinhas – Jacinta, Lúcia e Francisco – viram Nossa Senhora pela primeira vez, anunciando que faria ainda mais seis aparições, sempre ao 13º dia de cada mês seguinte. E assim foi: de maio a outubro, Nossa Senhora aparecia na Cova da Iria sempre no dia 13 (à exceção de agosto; explico em seguida).

Fátima
Jornal da época noticia o milagre de Fátima. Foto: Flávia Motta / Almost Locals

Ao longo do meses, crescia o número de peregrinos indo à então Cova da Iria, assim como crescia a desconfiança de outros tantos. Então, em agosto, o Administrador da Cova da Iria, convencido de que precisava desmascarar as crianças e acabar com o mito das aparições, manteve os três pastorinhos presos e sob interrogatório por dois dias. Nesse mês de agosto, Nossa Senhora só fez sua aparição no dia 19.

Por essa razão, embora Fátima seja um lugar de oração e fé o ano inteiro, de maio a outubro, o Santuário atrai ainda mais gente. Nas noites do dia 12 (18, em agosto) há procissão de velas e vigília. Nos dias 13 (19, em agosto) há missa e a cerimônia do adeus. O mês de maio é o que costuma concentrar a maior quantidade de peregrinos no Santuário. Em 2017, nos dias 12 e 13 de maio, o Papa estará no Santuário.

Procissão das Velas. Foto: Facebook / Santuário de Fátima
Procissão das Velas. Foto: Facebook / Santuário de Fátima

Como ir de Lisboa a Fátima

Existem duas formas de ir de Lisboa a Fátima: ônibus ou carro. De ônibus, você vai pela Rede Expressos. Cada trecho custa 21,60 euros e a viagem entre as duas cidades dura 1h30. O ponto de partida em Lisboa é a estação de Sete Rios, servida pela linha azul do metrô. Em Fátima, a Rodoviária do Tejo fica a 10 minutos de caminhada do Santuário. O primeiro ônibus que vai de Lisboa a Fátima sai às 6:30 e o último, às 20:30. Para retornar a Lisboa desde Fátima, há ônibus entre as 6:30 e as 22:10. Em ambos os trechos, os intervalos entre as partidas variam de 30 minutos a uma hora, dependendo do dia da semana e do horário. Como são muitos horários, apenas em dias especiais (datas religiosas, principalmente) é recomendável comprar o bilhete de ida e volta de uma vez.

Indo de Lisboa a Fátima de carro, você vai levar pouco mais de uma hora, seguindo pela A1, uma estrada ótima, mas cheia dos pedágios caros que são típicos de Portugal (pagamos 7,80 euros só na ida). Chegando em Fátima, há vagas de estacionamento pagas nas ruas dos arredores do Santuário e 14 parques de estacionamento gratuitos e enormes. A maior vantagem de ir a Fátima de carro é poder aproveitar a viagem para explorar outros pontos de interesse nos arredores da cidade. As grutas de Mira Daire, o Mosteiro da Batalha, Nazaré e Óbidos são alguns lugares que podem ser visitados no caminho.

5 lugares em Lisboa que viajantes brasileiros amam (e por que conhecê-los)

O que ver em Fátima

O Santuário de Fátima foi erguido no lugar onde aconteceu a primeira aparição de Nossa Senhora. São três construções principais. A Capelinha das Orações é considerada o coração do Santuário. Foi erguida no exato local das aparições, a pedido de Nossa Senhora. Hoje, uma capela maior em vidro protege os peregrinos e forma uma espécie de redoma ao redor da Capelinha. Nesse espaço há orações do terço todos os dias, em diversos horários, entre as 10:00 e as 21:30.

Capela das Aparições
Oração do Rosário na Capela das Aparições. Foto: Flávia Motta / Almost Locals

A Basílica de Nossa Senhora do Rosário é o templo maior do Santuário, onde ficam os túmulos dos Pastorinhos. Nesse espaço há também capelas dos passos, marcando a via crucis de Cristo. O sino da basílica marca as horas tocando “Ave Maria”.

A terceira construção principal do Santuário de Fátima é a Basílica do Santíssimo Sacramento. É uma igreja bem grande, com traços modernos, que foi recentemente construída já que a igreja mais antiga não dava mais conta de tantos fiéis.

Basílica de Nossa Senhora do Rosário, em Fátima
O altar da Basílica de Nossa Senhora do Rosário. Foto: Flávia Motta / Almost Locals

Há ainda capelas subterrâneas onde são realizadas missas ao longo do dia, em diversos horários, e um espaço de exposições relacionadas. Atualmente a exposição em cartaz é As Cores do Sol – A Luz de Fátima no Mundo Contemporâneo, em referência ao milagre de outubro de 1917, quando Nossa Senhora fez o sol dançar no céu de Portugal. Chegando ao Santuário a qualquer hora do dia você vai encontrar uma missa ou oração do terço prestes a começar. Caso não aconteça, os espaços estarão abertos para você rezar.

Basílica da Santíssima Trindade. Foto: Facebook / Santuário de Fátima
Basílica da Santíssima Trindade. Foto: Facebook / Santuário de Fátima

Além do Santuário, quem tem interesse na história de Nossa Senhora de Fátima pode visitar O Milagre de Fátima – O Museu Interativo, que refaz a história da Santa, desde as aparições do Anjo, em 1916, até a consagração de Nossa Senhora de Fátima pelo mundo. Outro Museu nos arredores do Santuário é o Museu de Cera de Fátima, com algumas centenas de imagens religiosas. A visita a cada um deles custa 7,50 euros. Eu não fui a nenhum dos dois; meus pais (que são muito religiosos) foram ao Museu Interativo e gostaram bastante do que viram.

Já mais distante do Santuário (a pouco mais de 2km), outro ponto de oração fica em Valinhos, onde moravam os três Pastorinhos e onde Nossa Senhora fez a sua aparição de agosto de 1917. Ali, em meio a um bosque de oliveiras, fica uma Via Crucis e foi erguida também uma espécie de altar, o Calvário Húngaro.

Calvário Húngaro, em Valinhos
Calvário Húngaro, em Valinhos. Foto: Flávia Motta / Almost Locals

Onde ficar em Fátima

Uma das maiores críticas que eu ouço em relação a Fátima é sobre a qualidade das opções de hospedagem. Embora a cidade tenha um número relativamente alto de hotéis e pousadas, eles têm um perfil mais simples. Com a celebração do centenário das aparições em 2017, a visita do Papa e o natural aumento do fluxo de turistas, bons hotéis vêm surgindo nos arredores.

Uma excelente opção é o Luz Houses, que fica a cerca de 1km do Santuário. É um hotel boutique super fofo e aconchegante, perfeito para uns dias de puro descanso. Nós ficamos nele a convite.

Luz Houses: conforto e charme na sua hospedagem em Fátima

Estando de carro, se hospedar nos arredores de Fátima e se deslocar para lá só mesmo para a visita do Santuário pode ser uma boa ideia.

Apartamentos em Lisboa que nós conhecemos e recomendamos para sua temporada na cidade

Luz Houses
Sala de estar do Luz Houses. Foto: Almost Locals

Onde comer em Fátima

Não disse que uma das críticas que mais ouço com relação a Fátima é sobre as hospedagens? A outra é em relação a alimentação. Há bastante opções de restaurantes e cafeterias simples nos arredores do Santuário, mas os relatos que ouço é de que paga-se mais do que a comida merece.

A Priscila e o Rafael, do Cultuga, indicam o restaurante Manhãs. O Guia Michelin indica os restaurantes O Convite e Tia Alice.

Em busca da estrelas Michelin em Lisboa

Eu, como estava de carro, segui a dica do pessoal do Luz Houses e fui para uma aldeia vizinha, Giesteira. Lá, jantamos no Lanterna do Fado. Era uma segunda-feira de dezembro (baixa temporada, portanto) e nós éramos os únicos clientes do restaurante. Daí que passamos quase todo o jantar conversando com os proprietários.

Lanterna do Fado
O bacalhau ao forno do Lanterna do Fado. Foto: Flávia Motta / Almost Locals

Aberto no início de 2016, o Lanterna do Fado se propõe a ser uma casa de fado em Fátima. Segundo Isabel, uma das sócias, frequentemente os moradores e visitantes da região se viam obrigados a ir até Lisboa para uma noite de fado e ela resolveu a questão abrindo a casa. O espaço é bem rústico e o menu é enxuto e privilegia produtos da região – daí haver mais carnes e aves do que pescados no cardápio.

Nós começamos com um queijo curado de cabra regado com mel e salpicado de amêndoas seguimos com um bacalhau assado no molho de pimentão vermelho e cebola e com uma queixada de porco no mesmo molho. Como acompanhamentos, batatas assadas, arroz de passas e amêndoas e migas à moda da região (broa de milho esfarelada e refogadas com couve manteiga fatiada, feijão fradinho, alho e azeite). Encerramos dividindo uma fatia de bolo de laranja (na verdade, um rocambole com massa de laranja em consistência de pudim e recheio de creme de ovos). Estava tudo delicioso.

Santuário de Fátima
Projeto original do Santuário de Fátima, na Cova da Iria. Foto: Flávia Motta / Almost Locals

O que mais saber sobre Fátima

Fátima é um lugar de oração que reúne pessoas do mundo inteiro. Por isso, pede-se uma certa postura no Santuário. Há muitas placas pedindo silêncio, é proibido tirar fotos em grupo (para minimizar a algazarra, penso eu), não é permitido o uso de tripés para fotos e filmagens, não se pode tirar foto com flash dentro da Basílica e até para a queima das velas há alguns pedidos de ordem.

Por reunir tanta gente, a estrutura para os peregrinos em Fátima é bem organizada. Além dos parques de estacionamento com centenas de vagas para ônibus de turismo, há uma boa rede de banheiros, área de piquenique e acessibilidade facilitada.

Apesar disso tudo, 2017 promete ser um divisor de águas, com a celebração do centenário e a visita do Papa. É que Fátima tem 10 mil camas de hospedagem e espera receber, só nos dias 12 e 13 de maio de 2017, mais de 1,5 milhão de pessoas. Para essas datas já não há mais vagas na rede de hotelaria da cidade.


Quer saber mais sobre o que visitar em Lisboa e nos arredores? Entre em contato e saiba como ter um guia de Lisboa personalizado, com o Almost Locals Experience.

Comments

comments

Tags desse artigo
,
Escrito por
More from Flavia Motta

Aula de culinária em Roma: aprendendo a fazer macarrão na Itália

Eu estava procurando um programa diferente para fazer na minha segunda visita...
Leia Mais