CRO: Porque a Croácia é a boa do verão Europeu?

Talvez você tenha entendido falar que a Croácia é a boa opção do verão europeu. É verdade e vou te explicar o porquê 😉

A Croácia é de longe o destino mais espontâneo que eu já fiz. Sem problema nenhum consegui curtir viagens tranquilas mesmo tendo comprado as passagens poucos dias antes de embarcar. Isso porque o turismo croata tem suas particularidades que facilitam muito na organização logística da viagem. Óbvio que é preciso se preparar. Porém eu diria que em nível de dificuldade a Croácia é « easy ». A atmosfera é descontraída e simples. As pessoas são acessíveis e em sua maioria falam inglês ou pelo menos arranham o básico. Muitos também falam alemão ou italiano por razões político-históricas.

PORQUE ESCOLHER A CROÁCIA?

IMG_1170

Foto: Split atrás do Palácio de Diocleciano – Jordana para Almost Locals

Não é cara como os outros países europeus (sim, a Croácia é membro da EU desde 2013). Dá para fazer uma viagem muito mais em conta do que seria na Espanha, no sul da França ou na Itália, por exemplo. Apesar de estar no espaço Schengen a moeda na Croácia é ainda o Kuna. Hoje 1 euro equivale aproximadamente a 7,4 Kunas. Já 1 real equivale a 2 Kunas.  Com 14 Kunas você compra uma Pinte (meio litro de cerveja), e é possível comer entre 20 e 50 Kunas (variando entre um sanduda ou um prato em um restaurante).

Além de econômica é linda. Muito linda. Tem de tudo: monumentos e arquitetura histórica, montanhas, lagos, parques com cachoeiras e praias, muitas praias maravilhosas.

O número de ilhas passa dos mil em todo o mar Adriático, conhecido pelas águas cristalinas em todas as tonalidades de azul e praias de pedras ou de cimento. Sim, apesar da existência de algumas poucas e lotadas praias de areia sem graça, você vai ver que as praias de pedra croatas são muito melhores: transparentes, com águas geralmente na temperatura boa e sem grandes ondas. Existem também praias onde no lugar da areia eles simplesmente cimentaram. Parece estranho, mas logo você vai perceber que entrar no mar e depois não preocupar com a areia grudando em todos os lugares é até melhor. Então equipe-se com sapatos adaptados. 

Há um tempinho atrás a Croácia era um destino ainda desconhecido e pouco visado, mas hoje com o turismo de massa e depois do sucesso de Game of Thrones que utilizou a cidade de Dubrovnik como cenário você não será o único a visitar o país.

COMO SE HOSPEDAR?

almost-locals-croacia-sobe

Foto: World Nomad

Mesmo assim, Bos, um croata que conheci na ilha de Dugi Otok me disse que na Croácia o lema é « Mediterranian as it once was », em tradução livre, algo como: “o mediterrâneo como antigamente”, ou seja, antes dos resorts e massas que tomaram conta de todo o sul da Europa. Isso porque hoje ainda é possível chegar em uma cidade croata e conseguir dormir na casa de um local. E essa é a grande dica da Croácia: escolha sempre ficar nos SOBEs ou APARTMANs, um quarto em uma casa ou uma casa inteira, respectivamente. É mais barato e a experiência é bem mais autêntica. Não tem comparação. Saiba porém que essas opções não incluem café da manhã, mas nada impede que você compre o básico nos baratíssimos supermercados (Diskont, por exemplo) e faça você mesmo em casa.
Você pode reservar com antecedência, e eu recomendo fazer isso, principalmente na alta temporada (julho-agosto). Em vez de utilizar os sites tradicionais, tente os Tourist Offices. Em cidades grandes como Zadar existe até aplicativo próprio para te ajudar a reservar um « sobe » ou « apartman ». Normalmente, eu vou direto ao Tourist Office da cidade e pergunto sobre as acomodações disponíveis. E tudo funciona linda e espontaneamente. O único lugar onde tive problemas foi – claro – em Dubrovnik que é uma cidade muito turística e lotada no verão. Como da última vez viajei com um pouco mais de conforto a média da minha hospedagem era 50€ por noite (um apê inteiro para duas pessoas: 25€ p.pessoa/noite). Mas na primeira vez eu era estudante e conseguia me virar com minhas amigas por 13€ em sobes.

Para as pequenas ilhas existe uma manha: ir no site de cada ilha e procurar uma aba « private accomodations ». Os sites das ilhas são difíceis de encontrar mas a gente te ajuda 😉
Normalmente os sites tem a mesma estrutura: www.tz-nomedailha.hr . Então, por exemplo se você quer a ilha Hvar, vai ser:  www.tzhvar.hr e aí procure a bandeirinha em inglês se você for como eu e não falar croata.

Ps: às vezes os locais não aceitam hospedagens de menos de três dias, então, se você planeja uma estadia curta, aí sim tente o Booking.com. Mas neste caso costuma ser mais caro por eles, infelizmente.

TRANSPORTE

No continente você pode escolher entre avião, ônibus e trem. Já pelo mar você tem os ferry-boats e catamarãs.
A Croácia é um país relativamente pequeno se comparado com o nosso Brasil. Então você pode fazer tranquilamente trajetos de ônibus para mudar de cidades. Sem falar que é barato. E você pode comprar no dia da viagem na rodoviária mesmo. Por exemplo: de Split à Zadar a viagem dura 3h30 mais ou menos e custa entre 70-100 Kuna (algo como 13€ hoje). De avião o preço de uma passagem de última hora é 106€ com uma escala e um total de 5h40 de viagem. Bem diferente, né?

Já os ferry-boats são os grandes ferries que embarcam pessoas e veículos, costumam custar mais barato e a viagem ser mais longa. Os catamarãs por sua vez transportam apenas pessoas e as viagens costumam ser mais curtas e mais caras, com suas exceções, claro. Na Croácia você pode comprar seus bilhetes de ferry ou catamarã com antecedência pelo site Jadrolinja. Ou você pode também comprar na hora no porto diretamente – mais arriscado, tem que chegar mais cedo e correr o risco de ter que embarcar no próximo se o ferry já estiver lotado.
Dica de ouro: verifique os horários dos ferries, amigos. Porque nada mais chato que descobrir que o ferry não vai passar naquele dia da semana, naquela hora na ilha onde você já reservou hospedagem. Tem ferry que sai às 5h30 da manhã e talvez você não esteja afim de acordar de madrugada na suas férias…

Você pode também alugar um carro na Croácia. Pelo que as pessoas dizem é relativamente barato. Acho apenas que se você for fazer ilhas é um pouco inconveniente com toda a história de embarcar no ferry com o carro, fazer fila, pagar mais caro pelo veículo, descer e etc. Prefiro ter mais mobilidade e eventualmente alugar uma scooter na ilha (em torno de 30€/ dia). Aliás, se você sabe dirigir uma scooter não deixe de viver essa experiência mágica. Principalmente nas ilhas.

ONDE IR?

IMG_1221

Foto: Jordana para Almost Locals

Graças à essa facilidade de alojamentos e transporte você pode ter um roteiro mais flexível e espontâneo.

Entre as destinações mais populares estão: Dubrovnik ao sul, Split ao centro, Zadar e Pula ao norte – todos na costa e sempre casadas com as ilhas mais próximas de cada região. No continente: Zagreb a capital e os parques de Plitvice e de Krk. Esse é o « basicão » da rota turística. 

Sobre as ilhas, existem tantas e é preciso definir quais são as prioridades da sua viagem: tem ilha baladeira, ilha jet-setter, ilha quase deserta, ilha natureza verdejante e grotas, ilhas-parque, grande e minúscula… tudo.

Por isso tente pesquisar bem as ilhas, Google nosso amigo está aí para ajudar. Mesmo que seja tentador, desaconselho fortemente tentar fazer tudo de uma vez. As ilhas, principalmente, ficam a horas de ferry de distância e você vai perder muito tempo com os deslocamentos. 

E não deixe de pesquisar em outras línguas se você puder. Em termos de bibliografia eu me senti melhor servida em inglês (e por falar francês também encontrei bons relatos de viagem francófonos na internet).

Pessoalmente conheço melhor as ilhas do norte, que tem fama de mais tranquilas, vazias e frequentada por locais. As do sul como as famosinhas próximas de Split: Hvar, Korkula, Brac já possuem uma quantidade mais consequente de turistas no verão. Mas tem quem goste por ter uma estrutura turística forte, baladas estrondosas ou querem conhecer porque o Jay-Z e a Beyoncé andam pelas bandas de Hvar.

almost-locals-croacia-dubrovnik-game-of-thrones

Foto: Brands and Films

Para visitas de cidades antigas, ruínas e arquitetura Split e Dubrovnik são imbatíveis. Pena que sejam tão invadidas por turistas. (Valeu GoT :/) Mas vale a pena assim mesmo. Andar pelas ruas estreitas de pedras brancas dos centros históricos vai te fazer viajar em outras épocas – e claro, você vai pensar em Game of Thrones.

Tente talvez evitar os horários de afluência nessas cidades. Já que na Croácia as pessoas costumam te servir as refeições a qualquer hora do dia, deixe para visitar os monumentos nos horários em que a maioria das pessoas estão almoçando ou jantando.

almost-locals-croacia-plitvice

Foto: Plitvice Lakes

E ainda, para quem ama natureza os parques de Plitvice e Krak não podem passar desapercebidos. O primeiro é maior e mais conhecido, já no segundo é possível nadar. Para amantes de cachoeiras e de caminhadas. Existem inúmeros passeios de um ou mais dias disponíveis para 

Para um itinerário de uma semana, acho que o ideal é casar três dias de cidade e três de praia e um de parque (3+3+1) por exemplo.

ONDE COMER?

IMG_1195

Foto: Restaurante Dvor em Split  / Jordana para Almost Locals

Teoricamente todos essas destinações de praia, mediterrâneo, Europa são famosíssimas pela cozinha local e na Croácia deveria ser o mesmo, né? Só que não é. Você não vai achar um restaurante delicioso por acaso na Croácia. Neste quesito eu fiquei bem decepcionada. Mas já sabia que seria assim, lendo bastante na internet. Os croatas, com todas as qualidades que têm, não são os mais criativos no quesito cozinha e a quantidade de “Pizza, Pasta, Grill” (PPG) que a gente encontra em todos os lugares é absurda. Influência da cultura italiana, certo. Porém a Pizza deles está muito longe do que a gente encontra na Itália. Não é questão de frescura, mas uma hora cansa. Então, fica uma dica de ouro para encontrar restaurantes melhores para intercalar com os PPGs:

Eis aqui um guia de restaurantes croatas: Dobri Restorani Sim, é em croata, mas você pode futricar e ver faixa de preços. E uma lista de restaurantes selecionados por esse guia mesmo guia: Jutarnji
Tente dar CTRL+ F no nome da cidade que você vai e anote os restaurantes, jogue no Google, traduza… é um trabalhinho mas prometo que valerá a pena depois. 

 

 

Espero que este texto possa te ajudar na decisão de visitar a Croácia! Se você conhece e tem sugestões não deixe de opinar e contar para o AL. Quem tiver dúvidas pode ficar a vontade para perguntar 🙂

 

 

***Foto de destaque: Getting Stamped

 

Gostou? Leia mais aqui

PAR: Marcas de roupas francesas para investir ou se inspirar no inverno

PAR: Vintage Shopping em Paris – onde e o que comprar em brechos parisienses

Siga Almost Locals no Instagram
Não perca nenhum post Almost Locals no Twitter
Acompanhe a página Almost Locals no Facebook

Comments

comments

Tags desse artigo
More from Jordana Felisberto

Dicas para usar o Vélib como um local e conhecer Paris de bicicleta

Quem já veio a Paris, conseguiu perceber que a bicicleta faz parte...
Leia Mais