CHI: Uber vs. Taxi

Uber, o serviço que todo mundo ama odiar. O serviço começou a operar na cidade em 2011 e a convivência nem sempre tem sido pacífica. Como em diversas outras partes do mundo, os taxistas daqui também reclamaram, protestaram e fizeram lobby para ter o seu monopólio garantido. Não adiantou muito, já que o Uber segue sendo uma opção de transporte extremamente popular. A última controvérsia foi quando o Uber foi autorizado a operar nos aeroportos da cidade, o que é, historicamente, a galinha dos ovos de ouro dos taxistas mundo afora. Ao permitir que os motoristas do Uber (e também dos concorrentes Lyft e Sidecar) busquem os passageiros nos aeroportos, a cidade de Chicago praticamente liberou geral. Ok, mas quais são as diferenças?

Uber

O Uber opera em Chicago em modalidades diferentes: uberX, uberTAXI, SELECT e UberBLACK, além da opção POOL onde você compartilha a corrida com outras pessoas e divide a conta. O mais comum é o uberX, onde carros de passeio comuns são usados para levar você para aquela festinha de final de ano da empresa. Você também pode chamar um taxi comum através do aplicativo ou um carrão mais classudo com o SELECT e UberBLACK se você quer uma chegada um pouco mais triunfal. Como o uberX é, de longe, o mais utilizado, falemos um pouco dele.

Os prós: Antes de mais nada, a grande vantagem do uberX é que, normalmente, é mais barato que um táxi comum. Por exemplo, uma corrida de Wicker Park até o aeroporto de O’Hare custa uns $25 contra $40 no táxi comum. Obviamente existe toda aquela coisa do “Price Surge” do Uber, onde o preço aumenta de acordo com a demanda naquele momento. É bem normal ter que pagar o dobro numa sexta-feira à noite, por exemplo. Outro ponto favorável é que, na maioria dos casos, motoristas de uberX são bastante simpáticos e sempre rola uma conversa fiada onde você pode receber umas dicas valiosas sobre a cidade.

Os contras: Ao contrário dos taxistas, motoristas de uberX não são obrigados a passar pelo treinamento que os taxistas tem que ter. Isso significa, na prática, que 99% dos motoristas do uberX são meros operadores de Google Maps. Não é raro ficar acompanhando o seu uberX pelo mapinha da app e ficar encafifado com a rota absurda que o/a motorista está usando para chegar até onde você está. O que me leva ao outro ponto: às vezes demora. Se você está com pressa, pode ser melhor tentar outra opção, dado que aquele “5 minutes” da app não é o melhor exemplo de precisão. Conflitos de gosto musical também são prováveis: pode ser que o seu uberX venha com uma música muito ruim e muito alta de brinde. Aliás, é importante lembrar que trata-se de um carro particular. Ou seja, não se espante se você encontrar objetos aleatórios ou um certo cheiro de ganja no uberX, mas isso também pode acontecer no táxi também, né?

Taxi

Os prós: Como eu disse antes, os taxistas precisam obter uma licença para operar na cidade. Para obter a licença, o taxista precisa fazer um curso e passar numa prova. Isso mais ou menos garante que os taxistas (geralmente) sabem onde estão indo, já que saber onde as coisas ficam faz parte do curso, e também conseguem se localizar com base no sistema Norte-Sul-Leste-Oeste das ruas. Outra vantagem óbvia é que você pode chamar o táxi no meio da rua sem ter que esperar os famosos “5-minutos-que-na-verdade-são-10” do Uber.

Os contras: Os taxistas de Chicago tem o péssimo hábito de ficar ao telefone o tempo todo. Não é exagero. Já aconteceu de eu entrar num táxi para uma corrida até o aeroporto e o taxista ficar falando ao telefone durante os 45 minutos da corrida. É irritante e toda vez eu fico imaginando se existe um serviço para taxistas onde eles ligam para um número especial onde é possível falar com alguém sem parar 24/7. Obviamente, se eu disse lá em cima que uberX é mais barato, táxi é mais caro. Mas pelo menos aqui não existe essa coisa de bandeira 2 durante o mês de dezembro. Aliás, bandeira 2 não existe.

Onde empata

Todos os táxis de Chicago e o Uber aceitam cartão de crédito ou débito (e não dá pra pagar Uber com dinheiro). Eu realmente não tenho estatísticas para provar o que eu vou escrever agora, mas parece uma afirmação razoável com base nas observações empíricas: o nível de segurança de ambos é basicamente equivalente. Os taxistas precisam passar por verificações de antecedentes criminais e os motoristas de Uber também. Taxis são regulamentados e as regras são claras. Se você tiver algum problema com a corrida de táxi, você pode ligar para a empresa (todo táxi tem um número de identificação) ou para a prefeitura. Se você tiver algum problema com a sua corrida do Uber, você pode entrar em contato com a empresa para que eles resolvam o caso. Já aconteceu de o motorista do Uber pegar um caminho completamente doido que fez a corrida custar 15 ao invés de 7. Mandei um email para o Uber e eles me reembolsaram na hora. Outra coisa que acontece às vezes é o motorista do Uber não terminar a corrida depois que você sai do carro. Mais um email para o Uber e outro reembolso.

E agora? O que eu uso?

Certamente, depende da situação. Se você está em casa, no bar ou saindo do cinema, eu recomendo pedir um Uber. Pode demorar um pouquinho pra chegar, mas chega e é mais barato. Agora, se você tá no meio da rua com neve pelo joelho ou só tem que se locomover algumas poucas quadras, táxi é a boa. E, claro, se você ainda não tem a app, a primeira corrida é na faixa.

A foto que abre o post é de Cory Doctorow.

Siga Almost Locals no Instagram
Não perca nenhum post Almost Locals no Twitter
Acompanhe a página Almost Locals no Facebook

 

11845109_920271514709490_5763134134393361968_o (1)Bruno Cardoso é entusiasta de Malört. Nas horas vagas faz cerveja em casa e torce pelo Chicago Blackhawks.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                      

 

 

Comments

comments

Tags desse artigo
Escrito por
More from Guest Blogger

Almost Tourist: Por trás dos tambores de “La Kasita” em Montevidéu!

Esse post foi escrito pelo Robson Neves, brasileiro que mora em Montevidéu....
Leia Mais