Casa de Pasto: cozinha portuguesa com toque contemporâneo em Lisboa

Secretos de porco com creme de laranja. Foto: Divulgação / Kenton Thatcher
Secretos de porco com creme de laranja. Foto: Divulgação / Kenton Thatcher

A entrada, uma porta discreta, poderia passar desapercebida pelo visitante desavisado. Não fosse um detalhe no andar de cima: um porco voador iluminado confirmando que, sim, é ali mesmo o Casa de Pasto. Sobe-se um andar e chega-se ao salão principal do restaurante, onde paredes cobertas com tecidos estampados e muitas louças, mobiliário de madeira e toalhas de renda dão a sensação de que chegamos à casa uma avó – portuguesa, com certeza. (sorry, não resisti ao trocadilho)

Quer saber mais sobre o que visitar em Lisboa? Entre em contato e saiba como ter um guia de Lisboa personalizado, com o Almost Locals Experience.

A visita ao Casa de Pasto na quarta-feira que se anunciava como a da chegada de uma frente fria transiberiana – é preciso viver em Lisboa para entender o quanto o prenúncio de temperaturas negativas assusta – marcava o início do trabalho do chef Hugo Dias de Castro no restaurante. Naquele jantar ele apresentaria os novos pratos que inseriu como sugestões no menu do Casa de Pasto.

O chef Hugo Dias de Castro. Foto: Divulgação / Kenton Thatcher
O chef Hugo Dias de Castro. Foto: Divulgação / Kenton Thatcher

Hugo tem 27 anos e chegou a Lisboa com 14 anos para estudar Cozinha e Pastelaria. Natural de Guimarães, o chef passou a infância entre as panelas e o forno à lenha da avó, acompanhando com gosto a preparação de cabritos, peixes e outros pratos típicos. Tem no seu histórico passagens por cozinhas estreladas e colaborações com chefs respeitados, como Edwin Vinke, Luís Baena e Manuel Lino. Trabalhou em Portugal, Espanha e Holanda. Mas foi a avó que lhe despertou sua paixão pela cozinha portuguesa, agora traduzida nas novas receitas com algo de contemporâneo que chegam ao cardápio do Casa de Pasto. Vamos logo a elas.

5 lugares em Lisboa que viajantes brasileiros amam (e por que conhecê-los)

Torresmo, moleja, cavala e fígado nas entradas

A primeira entrada a chegar à mesa é o creme de feijão preto com torresmo. A consistência é ótima, mas o torresmo é mágico. Cortado em pedaços bem pequenos, é apenas pele de porco que, quando entra em contato com o creme de feijão, estala, como se fosse uma pipoquinha. Na sequência vem uma espuma de alho quente com molejas impecável. E o esclarecimento do que são molejas: partes do timo de vitela.

Creme de feijão preto com torresmo. Foto: Divulgação / Kenton Thatcher
Creme de feijão preto com torresmo. Foto: Divulgação / Kenton Thatcher
Espuma de alho quente com molejas. Foto: Divulgação / Kenton Thatcher
Espuma de alho quente com molejas. Foto: Divulgação / Kenton Thatcher

Começam então a chegar entradas para serem partilhadas: cavala curada com minicebolinhas e ‘iscas com elas’, um clássico português repaginado. Na versão do chef Hugo Dias de Castro, as iscas de fígado salteadas são servidas com batatinhas salteadas sobre uma mousse de fígado.

Em busca das estrelas Michelin em Lisboa

Cavala curada com minicebolinhas. Foto: Divulgação / Kenton Thatcher
Cavala curada com minicebolinhas. Foto: Divulgação / Kenton Thatcher
Iscas com elas. Foto: Divulgação / Kenton Thatcher
Iscas com elas. Foto: Divulgação / Kenton Thatcher

Há novidades também na carta de drinques

Como pratos principais, o chef Hugo nos serve uma posta de bacalhau com grão-de-bico cozido e couve, e encerra a sequência com secretos com creme de laranja: cortes suculentos de carne de porco acompanhados por arroz de miudezas (um falso risoto mais molhado com miúdos de frango); estufado de espargos (um refogadinho de aspargos e feijão) e migas de grelos e pinhão (um refogado de verdura com pinhão e migalhas de pão).

Bacalhau com couve. Foto: Divulgação / Kenton Thatcher
Bacalhau com couve. Foto: Divulgação / Kenton Thatcher

A torta de cenoura com gengibre e chocolate branco – um rocambole de cenoura com creme de chocolate branco ao redor – marca o fim da série de sugestões do chef. Cabe mencionar também os novos drinques, de inspiração internacional e sabor português, que o bartender Lucas Vilas nos preparou: uma variação de Pisco Sour em que o licor de amêndoa amarga (altamente recomendável) substitui o pisco e um Kir Royal com o twist da ginjinha no lugar do tradicional licor de cassis.

O que fazer em Lisboa. Descubra o essencial da cidade

Torta de cenoura com gengibre e chocolate branco. Foto: Divulgação / Kenton Thatcher
Torta de cenoura com gengibre e chocolate branco. Foto: Divulgação / Kenton Thatcher
Casa de Pasto

Onde fica: Rua de São Paulo 20, 1º andar, Cais do Sodré, Lisboa, Portugal
Funcionamento: Segunda a sábado, 12:30 às 15:00 e 20:00 às 02:00. Fechado aos domingos.
Estação próxima: Cais do Sodré

Comments

comments

Escrito por
More from Flavia Motta

Apartamentos em Lisboa que nós conhecemos e recomendamos para sua temporada na cidade

O alojamento turístico tomou conta de muitas cidades europeias e virou um...
Leia Mais