AMS: 15 obras que fazem do Rijks um museu incrível

Rijksmuseum, antes de ser declarado oficialmente um museu (em 1800), era chamado de “Galeria Nacional” (Nationale Kunstgalerij) e tem uma história cheia de altos e baixos: parte de coleções em outras cidades, mudanças de prédios e em 1876 o arquiteto Pierre Cuypers assinou o projeto de reforma combinando influências góticas e renascentistas isso lhe rendeu inúmeras criticas. Ao longo dos séculos, o Rijksmuseum superou todas as adversidades e se estabeleceu como um dos museus mais importantes e relevantes para a arte nacional e internacional. Em 2013, depois de 10 anos de reforma, o tão celebrado museu dedicado à arte holandesa re-abriu as portas de maneira gloriosa, onde as propostas originais de Cuypers foram executadas de maneira ainda mais vanguardista para oferecer uma experiência completa com relação a apreciação de obras de arte.*

O museu tem três andares, divididos em 13 seções, onde o acervo é composto por pinturas, desenhos, esculturas, móveis, objetos e roupas, datados desde o início na Idade Média e Renascentista passando pelos séculos 17,18,19 até o 20. Também pertencem ao museu: um pavilhão asiático, as coleções especiais e uma livraria que leva o sobrenome do arquiteto: Cuypers.

No hall de entrada, estão: a chapelaria, banheiros, cafeteria/restaurante, loja e o balcão de informações com mapas em todos os idiomas e as coleções especiais. o 1º. andar estão as obras de 1700 a 1900, no 2º andar de 1600 a 1700 e no 3º andar 1900 a 2000. Dica: descobrir a data e autor da obra facilita a localização no mapinha.

A seleção a seguir reflete apenas preferência pessoal e não desmerece em nenhum momento as outras tantas obras maravilhosas que fazem desse museu um dos mais incríveis de Amsterdã…
Preparados? Então vamos…

1. O Massacre dos Inocentes
(Massacre of the Innocents, Cornelis Cornelisz. van Haarlem, 1590)

O Massacre dos Inocentes (Massacre of the Innocents, Cornelis Cornelisz. van Haarlem, 1590) Créditos: wikimedia.org
Créditos: wikimedia.org

2. São Sebastião
(St Sebastian, Pietro Tacca, 1610-1615)

São Sebastião (St Sebastian, Pietro Tacca, 1610-1615) Crédito: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

3. Auto-Retrato de Rembrandt
(Self-Portrait Rembrandt Harmensz. van Rijn, c. 1628 )
Rembrandt jovem… Que sorte a nossa poder ver 🙂

O auto retrato de Rembrant ainda jovem. Pequenino, mas muito bonito e rico em detalhes. (Self-portrait, Rembrandt Harmensz. van Rijn, c. 1628) Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

4. Universo
(The Universe in a box, Phillip Hainhofer, 1627-1630)

A Caixa do Universo (The Universe in a box, Phillip Hainhofer, 1627-1630) Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

5. A Batalha no Mar
(Warship in a Heavy Storm, Ludolf Bakhuysen, 1631-1708)

A Batalha no Mar (Warship in a Heavy Storm, Ludolf Bakhuysen (1631-1708) Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

6. A Ronda Noturna
(The Night Watch, Rembrandt,1640-1642)
 
Arrancando suspiros desde 1642.

A Ronda Noturna (The Night Watch, Rembrandt,1640-1642) Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

7. O Cisne Ameaçado
(The Threatened Swan, Jan Asselijn, 1650)

Em 1880, o quadro foi interpretado como uma paródia política onde Johan de Witt, representado pelo cisne que figurativamente protegia o país dos seus inimigos (o cachorro). “De raad-pensionaris” “de viand van de staat” “Holland” significam: “Primeiro ministro”, “Inimigo de estado” e “Holanda”, ali representada pelo ovo.

O Ganso Ameaçado (The Threatened Swan, Jan Asselijn, 1650) Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

8. Berço de talhado manualmente por volta de 1650 e 1700, produzido para a nobreza holandesa radicada na India

Berço de talhado manualmente por volta de 1650 e 1700, produzido para a nobreza holandesa radicada na India. Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

9. A Criança Doente
(The Sick Child, Gabriel Metsu, c.1660)

A Criança Doente (The Sick Child, Gabriel Metsu, 1660) Créditos: wikimedia.org
Créditos: wikimedia.org

10. O Retrato de Olinda
(View of Olinda, Frans Jansz Post, 17??)

O Retrato de Olinda (View of Olinda, Frans Jansz Post, 1612-1680) Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

11. O Cupido Sentado
(L’amour menaçant, Étienne-Maurice Falconet, 1757)

O Cupido Sentado (L'amour menaçant, Étienne-Maurice Falconet, 1757) Créditos: wga.hu
Créditos: wga.hu

12. A Batalha de Waterloo
(The Battle of Waterloo, Jan Willem Pieneman, 1824)

A Batalha de Waterloo (The Battle of Waterloo, Jan Willem Pieneman, 1824) Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

13. O auto retrato de Van Gogh
(Self-Portrait Vincent van Gogh, 1886-1887)

O auto retrato de Van Gogh (Self-Portrait Vincent van Gogh, 1886-1887) Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

14. O Farol na Tempestade
(Lighthouse in the Surf, Hendrik Willem Mesdag, 1900-1907)

O Farol na Tempestade (Lighthouse in the Surf, Hendrik Willem Mesdag, 1900-1907) Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

15. Livraria Cuypers
Linda é pouco! 🙂

A livraria Cyupers. Faz parecer que você está em um filme do Tim Burton. Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb


*Texto original do Guia Amsterdã, a capital das bicicletas – www.chickenorpasta.com.br / Priscilla Dieb © todos os direitos reservados.

Foto de destaque: Flickr Ed Webster

Comments

comments

Tags desse artigo
More from Priscilla Cavalcante

Um guia prático das piscinas de Amsterdã

Por ser uma cidade abaixo do nível do mar, Amsterdã durante muitos...
Leia Mais