AMS: 15 obras que fazem do Rijks um museu incrível

Rijksmuseum, antes de ser declarado oficialmente um museu (em 1800), era chamado de “Galeria Nacional” (Nationale Kunstgalerij) e tem uma história cheia de altos e baixos: parte de coleções em outras cidades, mudanças de prédios e em 1876 o arquiteto Pierre Cuypers assinou o projeto de reforma combinando influências góticas e renascentistas isso lhe rendeu inúmeras criticas. Ao longo dos séculos, o Rijksmuseum superou todas as adversidades e se estabeleceu como um dos museus mais importantes e relevantes para a arte nacional e internacional. Em 2013, depois de 10 anos de reforma, o tão celebrado museu dedicado à arte holandesa re-abriu as portas de maneira gloriosa, onde as propostas originais de Cuypers foram executadas de maneira ainda mais vanguardista para oferecer uma experiência completa com relação a apreciação de obras de arte.*

O museu tem três andares, divididos em 13 seções, onde o acervo é composto por pinturas, desenhos, esculturas, móveis, objetos e roupas, datados desde o início na Idade Média e Renascentista passando pelos séculos 17,18,19 até o 20. Também pertencem ao museu: um pavilhão asiático, as coleções especiais e uma livraria que leva o sobrenome do arquiteto: Cuypers.

No hall de entrada, estão: a chapelaria, banheiros, cafeteria/restaurante, loja e o balcão de informações com mapas em todos os idiomas e as coleções especiais. o 1º. andar estão as obras de 1700 a 1900, no 2º andar de 1600 a 1700 e no 3º andar 1900 a 2000. Dica: descobrir a data e autor da obra facilita a localização no mapinha.

A seleção a seguir reflete apenas preferência pessoal e não desmerece em nenhum momento as outras tantas obras maravilhosas que fazem desse museu um dos mais incríveis de Amsterdã…
Preparados? Então vamos…

1. O Massacre dos Inocentes
(Massacre of the Innocents, Cornelis Cornelisz. van Haarlem, 1590)

O Massacre dos Inocentes (Massacre of the Innocents, Cornelis Cornelisz. van Haarlem, 1590) Créditos: wikimedia.org
Créditos: wikimedia.org

2. São Sebastião
(St Sebastian, Pietro Tacca, 1610-1615)

São Sebastião (St Sebastian, Pietro Tacca, 1610-1615) Crédito: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

3. Auto-Retrato de Rembrandt
(Self-Portrait Rembrandt Harmensz. van Rijn, c. 1628 )
Rembrandt jovem… Que sorte a nossa poder ver 🙂

O auto retrato de Rembrant ainda jovem. Pequenino, mas muito bonito e rico em detalhes. (Self-portrait, Rembrandt Harmensz. van Rijn, c. 1628) Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

4. Universo
(The Universe in a box, Phillip Hainhofer, 1627-1630)

A Caixa do Universo (The Universe in a box, Phillip Hainhofer, 1627-1630) Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

5. A Batalha no Mar
(Warship in a Heavy Storm, Ludolf Bakhuysen, 1631-1708)

A Batalha no Mar (Warship in a Heavy Storm, Ludolf Bakhuysen (1631-1708) Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

6. A Ronda Noturna
(The Night Watch, Rembrandt,1640-1642)
 
Arrancando suspiros desde 1642.

A Ronda Noturna (The Night Watch, Rembrandt,1640-1642) Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

7. O Cisne Ameaçado
(The Threatened Swan, Jan Asselijn, 1650)

Em 1880, o quadro foi interpretado como uma paródia política onde Johan de Witt, representado pelo cisne que figurativamente protegia o país dos seus inimigos (o cachorro). “De raad-pensionaris” “de viand van de staat” “Holland” significam: “Primeiro ministro”, “Inimigo de estado” e “Holanda”, ali representada pelo ovo.

O Ganso Ameaçado (The Threatened Swan, Jan Asselijn, 1650) Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

8. Berço de talhado manualmente por volta de 1650 e 1700, produzido para a nobreza holandesa radicada na India

Berço de talhado manualmente por volta de 1650 e 1700, produzido para a nobreza holandesa radicada na India. Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

9. A Criança Doente
(The Sick Child, Gabriel Metsu, c.1660)

A Criança Doente (The Sick Child, Gabriel Metsu, 1660) Créditos: wikimedia.org
Créditos: wikimedia.org

10. O Retrato de Olinda
(View of Olinda, Frans Jansz Post, 17??)

O Retrato de Olinda (View of Olinda, Frans Jansz Post, 1612-1680) Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

11. O Cupido Sentado
(L’amour menaçant, Étienne-Maurice Falconet, 1757)

O Cupido Sentado (L'amour menaçant, Étienne-Maurice Falconet, 1757) Créditos: wga.hu
Créditos: wga.hu

12. A Batalha de Waterloo
(The Battle of Waterloo, Jan Willem Pieneman, 1824)

A Batalha de Waterloo (The Battle of Waterloo, Jan Willem Pieneman, 1824) Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

13. O auto retrato de Van Gogh
(Self-Portrait Vincent van Gogh, 1886-1887)

O auto retrato de Van Gogh (Self-Portrait Vincent van Gogh, 1886-1887) Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

14. O Farol na Tempestade
(Lighthouse in the Surf, Hendrik Willem Mesdag, 1900-1907)

O Farol na Tempestade (Lighthouse in the Surf, Hendrik Willem Mesdag, 1900-1907) Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb

15. Livraria Cuypers
Linda é pouco! 🙂

A livraria Cyupers. Faz parecer que você está em um filme do Tim Burton. Créditos: Priscilla Dieb
Foto: Priscilla Dieb


*Texto original do Guia Amsterdã, a capital das bicicletas – www.chickenorpasta.com.br / Priscilla Dieb © todos os direitos reservados.

Foto de destaque: Flickr Ed Webster

Comments

comments

Tags desse artigo
More from Priscilla Cavalcante

Cinco mitos e verdades sobre Amsterdã (Parte II)

Para dar continuidade ao nosso primeiro post sobre “Mitos & Verdades” para quem visita...
Leia Mais