A vida é muito curta para morar em uma cidade só

Fazer as malas e mudar de cidade é o sonho de muita gente. O difícil é sair da zona de conforto, abrir mão de muitas coisas da vida e encarar mudanças. Para quem está nessa dúvida, contamos um pouco da nossa experiência e porque achamos que a vida é muito curta para morar em uma cidade só. Acreditamos que não existe uma cidade que seja o supra-sumo-definitivo da perfeição – o bacana é poder mudar de endereço e aproveitar o que cada uma tem de melhor – e todas as transformações que ela pode trazer para você.

1 –  Uma nova cidade engrandece o olhar, o coração e a cabeça. É um processo diário, íntimo e enriquecedor se reconhecer e se descobrir a cada dia, nos momentos bons e ruins.

amor

Spread the love! Foto: Annix Lim

2 – Sair da própria cidade faz você deixar de ser bairrista e achar que uma é melhor que a outra em absolutamente tudo. Todas as cidades têm coisas maravilhosas a oferecer, mas também têm seus lados cheio de falhas. Andar pelo mundo te faz querer aproveitar o melhor delas e descobrir que não existe uma cidade definitiva. 

3 – Aliás, não existe nada definitivo. Sair da sua cidade faz você perceber que existem muitos lugares no mundo para chamar de seu e te dá mais coragem para mudar aquilo que te incomoda. Sem algumas amarras, você se movimenta mais e melhor.

4 – Mergulhar numa nova cultura, mesmo que seja dentro do seu país, te faz refletir e perceber melhor a sua própria cultura, além de tornar as pessoas mais tolerantes a modos diferentes de viver.

Diversidade2

Tolerância, a gente ama. Foto: Annix Lim

5 – Em contato com outras culturas, você consegue enxergar o que existe de especial e único na sua. Passa a prezar muito mais pela literatura, música, estética e identidade cultural de onde você veio. Vira quase um adido cultural.

6 – Mudar para outra cidade ou país esmaga qualquer comodismo e detona qualquer zona de conforto. Sem família, amigos e parceiros por perto, precisamos fazer tudo acontecer por nós mesmas. É cansativo, porém recompensador, conquistar sozinha cada espaço da sua nova vida.

7 – Fazer novos amigos, de diferentes origens e histórias, que vão trazer para você um mundo novo de realidades, experiências e opiniões.

Diversidade

Sorria, você está em Amsterdã! 

8 – Descobrir na prática que aquela cidade que você sonhava tanto em morar, também oferece burocracias e problemas. E você vai percebendo que não existe lugar perfeito, assim como as pessoas, e deixa de ser um caga-regra. O que sim rola é descobrir alguns cantos no mundo que te fazem sentir mais feliz, tranquilo ou outro qualquer estado de espírito que você esteja buscando no momento. 

9 – Começa a dar valor para programas mais simples, como comprar uma cerveja e bater um papo com um amigo na grama. As pessoas e as idéias são mais importantes que estar em um lugar caro e cercado de desconhecidos.

Berlim

De boa na grama. Foto: Sarah Galvão

10 – Sair para o mundo te faz repensar crenças, conceitos, hábitos e gostos. Você vai provar aquilo que jurou jamais comer, vai fazer amigos que em outras épocas nunca pensaria em ter, vai se meter em situações que o seu eu “antigo” acharia uma roubada. Dessa reviravolta interna sairá alguém muito mais aberto e cheio de histórias para contar.

Caracois

Caracóis podem ser deliciosos! Foto: Sarah Galvao

11 – Sente tanta saudade da comida da terra natal que começa a cozinhar muito melhor que antes.

12 – Estar em um lugar novo te faz sentir um adolescente curioso outra vez. Não existe bairro que seja longe demais para ser explorado. Começa a catar todos os eventos existentes nas revistas e sites de agenda. Sai da toca e vai para rua sob qualquer pretexto. Essa curiosidade quase-local que a gente aqui entende e sente todos os dias.

13 – Um encontro com seu eu-passado antes de mudar de cidade pode ser chocante. Tente encontrar um texto ou um vídeo seu, dando uma opinião sobre um assunto. Você vai se espantar como sua cabeça mudou depois que saiu da sua cidade em relação a diversos assuntos. Pode até ter um momento forte de self-vergonha!

14 – Conhecer um monte de regiões e cidades que nunca tinha imaginado e nem escutado na vida. E ficar encantada por cada um delas.

Besalu

Lugares novos! Foto: Sarah Galvão

15 – Com o passar do tempo, essa mesma distância também te faz perceber que muitas coisas que você não gostava na sua cidade, ficaram para trás, assim como todos os sentimentos que isso te trazia. Você não precisa mais lidar com aquilo que te incomodava (ou pelo menos, passa por essas coisas em menor proporção em outro lugar) e passa a ter uma relação muito melhor com a cidade que você vive. De repente, você se sente mais leve e despreocupada.

Tranquilo

Numa boa, numa nice. Foto: Sarah Galvao

16 – Já que tá tudo mudando na sua vida, você decide aprender algo novo. Se inscreve naquele workshop de yoga, participa de uma bicicletada norturna e decide fazer um tandem de português com outro idioma, para aprender e fazer novos amigos.

Bicis

Bicicletada em Berlim. Foto: Annix Lim

17 – Percebe que o mundo é grande demais e que as pessoas são diversas demais e por isso, deixa de lado esse lance de colocar um rótulo em tudo.

18 – A gente descobre que saudade não mata – mas também não passa. É um sentimento que a gente aprende a administrar.

E você, por que acha que a vida é muito curta para morar em uma cidade só?

* Esse post foi escrito pela Amanda Foschini, Érika Azevedo, Flávia Motta, Helena Nacinovic e Sarah Galvão

Siga Almost Locals no Instagram
Acompanhe a página Almost Locals no Facebook

 

Comments

comments

More from Sarah Oliveira

BCN: Xampañeria Can Paixano, champagne por menos de 1 euro

A maioria conhece esse lugar mágico apenas como “Xampañeria”. Mágico porque a...
Leia Mais