5 bistrôs em Paris para você conhecer

Comer bem em um bistrô em Paris está na lista de todo mundo que vai à cidade. Afinal a gente cresceu ouvindo que a culinária Francesa é uma das melhores da Terra.  Mas escolher um bom bistrô em Paris pode ser não tão fácil, afinal a cidade está cheia de armadilhas para turistas. Bem, pelo menos de 2 coisas você tem que fugir: gente na porta te convidando para entrar e coisas escritas em Inglês do lado de fora.  Mesmo assim, já caí em algumas roubadas em restaurantes em Paris, principalmente quando entrava em qualquer lugar por causa da fome.

Depois de algumas visitas à cidade, já tenho alguns restaurantes que sempre repito. E não é com medo de errar, porque amo ir a restaurantes novos e sempre tento novos lugares na cidade. Simplesmente vou outra vez porque eles são bons de verdade. Veja quais te agradam mais e reserve já sua mesa em alguns desses bistrôs em Paris!

Bistrot Paul Bert

O 11me é um bairro onde sempre como bem e o Bistrot Paul Bert é o meu restaurante preferido em Paris atualmente. Tudo é maravilhoso e a especialidade deles é carne. Ou seja, vegetarianos vão ver cenas de sangue! Já comi um filé com batata frita tipicamente Parisiense, daqueles que vem mugindo de tão cru. A sobremesa foi um macaron gigante com morango, uma coisa incrível. Da última vez que fui em 2015, achei o Paul Bert mais sensacional ainda. De entrada, pedi uma vieira amanteigada. A mesa inteira acabou com o pão de tanto que era gostoso afundá-lo no molho da vieira. Para selar de vez a posição de meu bistrô querido, comi uma vitela com purê e trufas negras que estava divina. 

A vieira fantástica. Foto: Almost Locals
A vieira fantástica. Foto: Almost Locals

 

Trufas, amigos. Foto: Almost Locals
Trufas, amigos. Foto: Almost Locals

 

Serviço amigável e preços honestos pela alta qualidade. A conta no jantar deu 45 euros para cada pessoa com entrada + prato principal (com trufas) e sobremesa + 3 garrafas de vinho para 6 pessoas. Os menus custam de 18 a 36 euros, sendo o almoço o mais barato. Reserve e não perca.

18 rue Paul Bert, 75011, metrô Faidherbe-Chaligny (8). Telefone: 01 43 72 24 01. Fechado aos Domingos e Segundas. Reserve.

Les Cocottes

Christian Constant é um chef famoso em Paris, daqueles que publica vários livros sobre as receitas dos seus restaurantes. O Les Cocottes é um deles e um dos mais acessíveis do chef. Tudo é servido em pequenas panelas de aço tipicamente Francesas, as cocottes, daí vem o nome. O restaurante é pequeno e nada aconselhável se você está com crianças, afinal as mesas são balcões com cadeiras altas. Sempre fui no almoço e o menu custa entre 20 e 34 euros. O menu muda sempre, mas está tudo sempre cheio de sabor, já que eles abusam das ervas na hora de aromatizar os pratos. Opções vegetarianas, carne e muitas aves. Foi aqui que provei pombo pela primeira vez e estava bom!

Tudo vem na panelinha. Foto: Les Cocottes
Tudo vem na panelinha. Foto: Les Cocottes

 

É o lugar perfeito para antes ou depois de um passeio na Torre Eiffel, já que o restaurante está ao lado dela. O restaurante não aceita reservas e está sempre com gente, então tente chegar bem cedo ou em uma hora do almoço alternativa, a partir de 4 da tarde. Sim, o Les Cocottes fica aberto direto sem parada entre almoço e jantar, o que é uma maravilha quando você só quer saber de bater perna em Paris.

Pertinho da torre Eiffel. Foto: Tripadvisor
Pertinho da torre Eiffel. Foto: Tripadvisor

 

135 rue St. Dominique, 75007, metrô École Militaire (8). Não tem telefone, pois não aceita reservas. Aberto todos os dias de meio-dia às 23:00.

Le Baratin

Esse bistrô faz com que os foodies de Paris peguem o metrô até o 20me para comer. O legal é que você vai conhecer Belleville, bairro nada turístico, com vários imigrantes com uma pegada bem local e comer no Le Baratin.

Pedi o conselho de um dos donos, o sommelier do local. Apesar da fama de mal-humorado que ele tem segundo li em outros blogs, ele foi bem simpático comigo. A indicação de entrada foi um cérebro (não lembro de que animal) com batatas e um molho de manteiga. Fui corajosa e aceitei o desafio. E não é que estava gosto pra caramba? A textura do cérebro era curiosa, bem esponjosa e mole, lembrava a de uma ostra. Pronto, aí gostei. O molho estava ótimo. Mas não se assuste porque a casa oferece pratos mais normais, como cordeiro grelhado, lulas ou aves. O cardápio muda sempre como em qualquer um desses bistrôs, então é bem difícil comer um prato e repetir em outra visita.

O cérebro no Baratin. Mas não fique assustado que a comida normal também é boa. Foto: Almost Locals
O cérebro no Baratin. Mas não fique assustado que a comida normal também é boa. Foto: Almost Locals

 

O ambiente é bem simples como a vizinhança mas não se engane: à noite é possível gastar 50 euros por pessoa fácil fácil. As opções de almoço são mais baratas, custando em torno de 20 euros por pessoa.

3 rue Jouye-Rouve, 75020, metrô Pyrenées or Belleville (11). Fechado aos Sábados no almoço, Domingos e Segundas-feira o dia inteiro. Telefone: 01 43 49 39 70. Reserve.

Juveniles

Se o Le Baratin tem várias invencionices, o Juveniles é aquele clássico bistrô com os pratos de toda vida da França: terrines, saladas deliciosas com queijo de cabra, carnes ensopadas com um purê com uma textura maravilhosa e por aí vai.  Mas como simplicidade não é ser simplório, a comida é boa demais. Eu comi uma bochecha de porco cozida a fogo lento (é, eu sempre peço o mais estranho do menu) com batata frita cortada beeeem fininha e vegetais da temporada. Delícia. 

Vinho para o povo no Juveniles. Foto: Zagat
Vinho para o povo no Juveniles. Foto: Zagat

 

O Juveniles é um bistrot a vins, ou seja, a oferta de vinhos é bem melhor do que um bistrot normal. Lugar pequeno e bem no centro de Paris, perfeito para uma refeição com vinhos incríveis e comida idem entre um passeio e outro. O preço médio é de 25 euros por pessoa, bem mais em conta que as outras opções da lista.

47 rue de Richelieu, 75001, metrô Pyramides (7, 14). Fechado aos Domingos e Segundas-feira.  Telefone: 01 42 97 46 49. Reserve. 

Le Petit Vatel

Esse é o mais local da lista. Localizado no 6me (Saint-Germain-de-Prés), a comida e o ambiente do Le Petit Vatel são bem comfort como deve ser um bistrô. Pequeno, simples, familiar e com comida descomplicada, o menu também muda sempre (você deve ter percebido que o menu muda sempre em bistrô), mas as opções de saladas gostosas (os franceses são mestres nisso),  peixe com legumes da temporada, porcos cozidos a fogo lento, vitela e terrines estão lá. O serviço é bem amigo e os preços também, com menu completo em torno de 20 euros. Sim, isso é barato para um bom restaurante em Paris, infelizmente.

5 Rue Lobineau, 75006, metrô Mabillon (10). Aberto de Terça-feira à Sábado de meio-dia às 14:30; 19:00 às 22:30.

Dica-bônus:Comigo sempre funcionou. Por mais que você não fale Francês, aprenda umas frases básicas e comece a usá-las nos restaurantes. As pessoas vão perceber que você não fala o idioma e ser mais amigáveis só pelo fato de você ter tentado falar francês, falando com você em inglês ou espanhol caso elas saibam. Ou pela linguagem dos sinais. Não falha e assim você não vai repetir para todo mundo o clichê que Francês é mal-humorado.

 

 

 

 

Siga Almost Locals no Instagram
Não perca nenhum post Almost Locals no Twitter
Acompanhe a página Almost Locals no Facebook

Comments

comments

Tags desse artigo
More from Sarah Oliveira

Onde comer perto da Torre Eiffel sem pegadinhas

Já que ela é a atração turística mais popular e clichê de...
Leia Mais