10 coisas que você NÃO deve fazer em Paris

Quem conhece Paris sabe: todo o tempo do mundo não é tempo suficiente. São mil coisas para ver fazer e comer na Cidade Luz.  É preciso escolher bem e planejar para evitar as furadas e fazer valer cada segundo passado nessa cidade linda –e cada eurinho superfaturado. Pense em uma tarefa difícil. A gente lê, pesquisa e pergunta e ainda assim acaba caindo em um monte de ciladas que não valem a pena. Aqui vão 10 coisas a NÃO fazer em Paris.

1. Não coma nas famosas Brasseries

almostlocals-paris-brasserie
Foto: Divulgação do site

É verdade que Paris é cheia de Brasseries famosas e históricas. E ainda fica mais fácil conhecê-las porque elas tem “serviço contínuo”, o tal do non-stop que salva a vida dos turistas em passeio que almoçam fora de hora. Mas você não precisa esbanjar nesses restaurantes, que custam super caro. Se fizer questão de visitar, peça uma cerveja, um café ou algo pequeno. Atualmente essas famosas brasseries estão nas mãos dos mesmos donos, viraram “chain restaurants” e o custo-benefício não vale a pena. Prefira restaurantes menores e autênticos para comer um verdadeiro prato francês… faça uma pesquisa (aqui no AL temos várias ideias de bons planos), vale checar o Trip Advisor e outros guias.

2. Não fique limitado às lojas e shoppings famosos

almostlocals-paris-galeries
Foto: Le Figaro

Galeries Lafayette, Printemps, BHV… é verdade que você acha de tudo la dentro. E vamos combinar que a nossa gente tupiniquim costuma se amarrar num shopping. Mas, Paris tem tantas lojas legais fora do circuito Marais- Saint German de Près-Champs Elysées-Saint Honoré. Tanto! Pessoalmente sou fã de carteirinha de brechós (vide o nosso post aqui no AL) e eles estão espalhados pela cidade inteira. Temos muitos mercadinhos de pulgas nos fins de semana! As ruas de Charonne, Keller, rue des Martyrs, Montorgueil, Vavin, Palais Royal e sobretudo o charmosíssimo Canal St. Martin têm lojas muito mais a cara dos franceses do que os grandes centros lotados e turísticos!!

3. Não programe suas refeições em lugares turísticos

almostlocals-paris-sacrecoeur
Foto: Marabinudin

Gente, Paris é tão cheia de opções para comer. É conhecida mundialmente por isso. Gastar muita grana por uma refeição meia-boca é uma dó!! Não fique com preguiça de pesquisar antes. Comer em Montmarte, Quartier Latin (ali perto da Notre Dame também), perto do Louvre, da Tour Eiffel… é quase sempre furada. Deve ter um ou outro restaurante que os blogs de viagem tradicionais da internet recomendam nos posts “onde comer perto do (insira o monumento famoso)”. Mas sério, dê um up na qualidade da sua visita à Paris. Aqui é relativamente pequeno, então mesmo se você tá morrendo de fome do lado da Torre, segura uns 15 minutinhos de caminhada para comer algo mais gostoso e mais surpreendente no bairro do lado e menos turístico. Pensemos fora da caixinha 😉

4. Não ignore os museus menores e fora da curva

almostlocals-paris-museedelavieromantique
Foto : Le Musée de la Vie Romantique

Depois dos restaurantes, aqui é a capital dos museus. Tem tantos aqui e muitas vezes são pequenos, charmosos em antigos casarões super bem conservados. A cidade vive disso minha gente! Então ao invés de ver apenas o Louvre e companhia, peça ajuda ao Google: Musée de la Vie Romantique, Musée Carnavalet, Musée Guimet, Musée Cernuschi.. e por aí vai. Eles são muitas vezes administrados pela Cidade de Paris, então muitos são gratuitos! E todo primeiro domingo do mês a visita é gratuita em todos os museus! 🙂

5. Não evite o metrô

almostlocals-paris-metro
Foto : RATP

Ok, quem lê o AL sabe que eu e metrô temos uma relação de amor e ódio. Mas é porque eu pego ele todo dia e moro aqui então acabo vendo o lado B da coisa. Mas, a cidade é tão bem servida pelo transporte que é de longe a maneira mais segura, prática e econômica de se locomover pela cidade. Não pegue taxi, que é caro. Não precisa. Arranje um mapinha em alguma estação e compre o carnet de  10 tickets por 14,20€. E curta Paris!  Ps: eu curto muito o ônibus também, mas tente pegar ele fora do horário de pico, porque aqui tem muitos engarrafamentos como toda cidade grande…

6. Não perca tempo na Champs-Elysées

almostlocals-paris-champs
Foto : Digital Business News

Sim, é uma avenida linda e enorme,  com uma vista maravilhosa do Arco do Trinfo. Mas o glamour de antigamente já era, por conta das lojas sempre de grandes marcas, os cafés extra-caros ( nem por isso bem frequentados) e muita gente mesmo, ficando até dificil de caminhar tranquilamente. Tirando algumas exceções tipo a loja da Guerlain a avenida foi tomada por lojas americanas tipo Levis, Abercrombie&Fitch, Banana Republic. E como você veio para passear em Paris e não em Miami, larga isso para lá e vai dar uma volta em Montmarte, Saint-Germain, na beira do Canal Saint-Martin, na beira do Rio Sena… assim você vai se sentir que está passeando mais na capital francesa e menos nos outlets de Orlando.

7. Não se prenda aos limites da cidade

almostlocals-paris-giverny
Foto : Giverny pour Xavier Prestige Tour

Erro de principiante: limitar sua visita à Paris apenas. Temos coisas incríveis para ver na região, acessíveis em apenas uma hora de trem. Vale a pena pesquisar e reservar um dia para visitar:  obviamente Versailles, mas também Giverny (a casa do Monet fica lá), Fontainebleau, Chantilly, Chamarande… lugares cheios de história que valem o desvio. Assim você vê um pouquinho da França fora da metrópole. (E é bem diferente, até o jeito das pessoas 🙂 )

almostlocals-paris-filatorreeiffel
Foto : Divulgação

8. Não faça fila na torre Eiffel

Eu, pessoalmente, nunca subi na torre. Pronto, falei. Tenho preguiça não só da fila quilométrica, mas do programa em si. Acho que passar horinhas preciosas de uma viagem à Paris fazendo fila uma besteira.Mas essa SOU EU. Se para você isso é indispensável (e eu entendo) existem jeitos de cortar a fila. Um é subir os 328 degraus até o primeiro andar e de lá pegar o elevador. O outro é procurar pacotes de tours tipo “Easy pass”. Eles cortam a fila e você não é necessariamente obrigado a ficar com o grupo. Como eu nunca fiz antes, vale a pena você pesquisar bonitinho o site deles e de outros para economizar seu tempo e ver a vista de Paris do alto da torre. *edit: muita gente compra os ingressos com antecedência 😉

9. Não tenha medo de comer como um parisiense

almostlocals-paris-calmos
Foto : Cena do filme francês “Calmos”

Ao vir a Paris, não deixe de comer coisas que os franceses comem –sobretudo as “bizarras”. Afinal, você já tá aqui mesmo e qual o melhor lugar para provar pratos diferentes do que o lugar onde eles são feitos? Tire um dia de folga do seu bife com batata frita e se jogue no escargot (sim senhor, nada de torcer o nariz – é bom demais!), no boudin noir (linguiça de molho tipo pardo), nas ostras, confit de canard (coxa de pato conservada na gordura) – tem até o polêmico foie gras. Se você não curte bichinhos, tudo bem! Aqui tem endívias, aspargos brancos e trufas! E claro, não deixe de provar as inúmeras variedades de queijos de cabra, de vaca, de ovelha…e não se esqueça dos VINHOS! (salivei aqui com tudo isso – nhamnhan)

10. Não deixe de usar o Vélib para curtir Paris

almostlocals-paris-vélib
Foto:Meteo Sensible

O Vélib é minha paixão. Acho que graças à ele você vê Paris com outros olhos. E temos um post aqui no AL explicando os detalhes e as dicas para usar o melhor serviço de bicicletas coletivas do mundo e se sentir um verdadeiro parisiense.Temos ciclovias e estações espalhadas pela cidade e a sensação de pedalar na capital mais linda do mundo (que me desculpem as outras heheh) é inesquecível. Não perca essa oportunidade!

E você, concorda ou discorda? De todo o jeito a viagem é sua e você faz o que quiser e regras servem para ser quebradas, o importante é se divertir! Pode ser que você tenha outras dicas também de coisas que você prefere evitar em Paris… compartilhe com a gente nos comentarios, pode ajudar a viagem de alguém!! 

***Foto de destaque: The Dinning Room

 

Gostou? Leia mais aqui

PAR: La Fine Mousse é o hotspot para fãs de cerveja artesanal em Paris

PAR: Bebendo vinhos em Paris: 4 caves imperdiveis no 11ème arrondissement

Siga Almost Locals no Instagram
Não perca nenhum post Almost Locals no Twitter
Acompanhe a página Almost Locals no Facebook

Comments

comments

Tags desse artigo
More from Jordana Felisberto

Compras vintage: onde e o que comprar em brechós em Paris

No imaginário coletivo, Paris é sinônimo de compras, moda e bom gosto....
Leia Mais

4 Comentários

  • Já fui várias vezes a França e concordo plenamente com vc. Nunca subi na Tour Eiffel. A vista do Sacre Coeur é tão bonita qto e é de graça, e n tem filas. Já explorei o banlieue e foi demais. Parabéns , essa lista está perfeita.

    • Poisé Flora, eu tenho uma visão parecida com a sua sobre viagens e turismo em geral! Gosto de aproveitar das coisas de maneira simples e fugir das multidões! Obrigada pelo comentario!! Bisous

  • Gostei de mais da lista e vou recomendar, vai me ajudar bastante na próxima visista a minha cidade preferida, rsrsrs. Eu, particularmente, acho indispensável subir na torre, assim como caminhar nas margens do Sena, mas fica a critério de cada um. 🙂

Os comentários estão fechados